Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

BRIGA NA JUSTIÇA

Sem saber, Ana Paula Renault tem R$ 44 mil bloqueados em ação de Sonia Abrão

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

Montagem de fotos com as apresentadoras Ana Paula Renault (à esq.) e Sonia Abrão (à dir.) em fotos publicadas no Instagram

Ana Paula Renault (à esq.) e Sonia Abrão (à dir.); rixa de apresentadoras parou na Justiça

KELLY MIYASHIRO e LI LACERDA

kelly@noticiasdatv.com

Publicado em 11/3/2022 - 7h00

Sem saber, Ana Paula Renault teve R$ 44 mil bloqueados pela Justiça no processo aberto por ela contra Sonia Abrão. A ex-BBB pedia uma indenização por danos morais por ter sido chamada de Anabelle, mas perdeu a ação tramitada no Tribunal de Justiça de São Paulo e deveria bancar os custos advocatícios da rival.

De acordo com a decisão obtida pelo Notícias da TV, proferida em 3 de março, a juíza Lívia Martins Trindade Prado, da 37ª Vara Cível, determinou o bloqueio de R$ 44.244,19 das contas de Ana Paula e a transferência do valor a Sonia. 

Procurada pela reportagem, Ana Paula Renault declarou não estar sabendo do bloqueio de dinheiro pois fora abandonada pelos advogados que constavam como seus representantes na ação --atualmente, ela de fato consta como "réu revel", que significa "sem advogado", no processo. A artista está em contato com novos advogados para dar os próximos passos.

No documento, entretanto, a magistrada explica que a Justiça enviou uma carta de intimação aos endereços da ex-apresentadora do Fofocalizando, do SBT, indicados na petição inicial do processo aberto por ela e que, como não houve comunicação de mudança, portanto, foi considerado que Ana Paula estaria avisada da atualização dos trâmites legais:

Tendo em vista que a carta de intimação de foi encaminhada ao endereço indicado pela própria parte na petição inicial da fase de conhecimento, bem como que não houve comunicação de mudança de endereço a este juízo, considero válida a intimação da executada [Ana], nos termos do artigo 274, parágrafo único, do Código de Processo Civil. Posto isto, proceda-se à transferência do valor bloqueado para conta judicial vinculada a este Juízo.

Com isso, a Justiça ordenou a transferência do valor, que tinha sido bloqueado em dezembro do ano passado, às contas de Sonia Abrão, que tinha cinco dias para se manifestar caso quisesse uma nova correção para aumentar a indenização a ser paga por Ana Paula. 

"Com o cumprimento e decorrido o prazo recursal, expeça-se mandado de levantamento eletrônico da quantia de R$ 44.244,19 em favor do exequente [Sonia]. No mesmo prazo, a autora deverá indicar se o valor transferido satisfaz a pretensão", diz a juíza na decisão.

"Em caso negativo, deverá se manifestar em termos de prosseguimento do feito, apresentando planilha atualizada do débito, bem como recolhendo eventuais despesas daquilo que requerer. Anote-se que o silêncio implicará anuência ao valor transferido e extinção pelo pagamento. Intimem-se", conclui o documento. 

A defesa de Sonia Abrão também foi procurada pelo Notícias da TV para comentar, mas não retornou. Caso o advogado da apresentadora se manifeste, este texto será atualizado. 

O processo

Em 2019, Ana Paula Renault processou Sonia Abrão por ter sido chamada pela titular do A Tarde É Sua de Annabelle --em referência à boneca macabra que protagoniza a trilogia de filmes (2014-2019) de terror que leva seu nome-- no programa de fofocas da RedeTV! em 3 de outubro de 2018. Na época, a ex-BBB participava de A Fazenda 10, da Record.

A loira havia pedido uma indenização de R$ 300 mil por difamação e danos morais, mas perdeu e foi condenada pela juíza Patrícia Martins da Conceição a pagar todas as custas e despesas processuais, além de arcar com os honorários advocatícios das partes envolvidas. 


Leia também

Enquete

Qual o personagem mais chato de Pantanal?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.