Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

PLANO DE VINGANÇA

Raul Gazolla diz que amigo planejou morte de assassino de Daniella Perez

REPRODUÇÃO/YOUTUBE

Raul Gazolla em entrevista ao canal Rap 77, de camisa preta

Raul Gazolla em entrevista ao canal Rap 77; ator revelou plano de amigo para matar Guilherme de Pádua

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 8/1/2021 - 22h03

Raul Gazolla revelou que um amigo planejou matar Guilherme de Pádua, um dos responsáveis pelo assassinato da atriz Daniella Perez em 1992. O ator, de 65 anos, contou que um colega quis vingar a morte da mulher após a prisão do assassino, mas ele conseguiu dissuadi-lo do plano.

"Eu tinha um amigo que era contraventor. Quando ele soube do caso não foi me visitar, não foi no enterro. Depois do enterro ele mandou me chamar na casa dele e falou: 'Gazolla, estou mandando descer todas as pessoas que conheço e a gente vai explodir a 16ª Delegacia e matar o cara, porque ninguém faz isso com mulher de amigo nosso'", contou o ator em entrevista a Júnior Coimbra no canal Rap 77.

Na época do crime, Gazolla era casado com Daniella. Guilherme contracenava com a filha da autora Gloria Perez na novela De Corpo e Alma (1992), e o ator queria que a jovem insistisse com sua mãe para que ele tivesse mais espaço na trama. Ao se sentir contrariado, Pádua assassinou Daniella a facadas no Rio de Janeiro, com ajuda de sua então mulher, Paula Thomaz. Ele passou seis anos de prisão e está livre desde 1999.

Gazolla afirmou que conseguiu convencer o amigo a desistir da ideia depois de duas horas. "Foi porque sou gente boa? Não, mas porque sabia que a história estava mal contada, que tinha mais coisa aí. O rapaz precisava viver para ele contar a verdade. Depois de duas horas ele deixou correr na Justiça. Além do mais, quando você explode a 16ª para matar alguém, você vai matar inocentes. Eu não posso dormir com esse barulho nessa cabeça", ressaltou.

O experiente ator, que chegou a sofrer quatro infartos por conta do estresse que passou em função da morte da ex-mulher, salientou que não gosta de falar muito sobre o caso, e disse que o que mais o incomoda na história é a postura do assassino.

"A única coisa que me incomoda muito, na verdade, mesmo tentando ser uma pessoa melhor, é que ele sempre veio a público e disse 'aconteceu o que deveria acontecer'. Nunca disse 'que merda que eu fiz', nem ele nem a mulher. Então, eu rezo todos os dias para que a gente não se encontre. Todas as entrevistas que vi dele ele nunca se arrependeu. O que ele carrega dentro dele é 'perdi a oportunidade de continuar sendo ator', que era tudo pra ele", pontuou.

Ele ainda contou que teve dificuldade para terminar de gravar Deus Nos Acuda (1992) em virtude de seu estado emocional após a trágica morte da companheira.

"No primeiro ano, me mantive um cara normal, mas eu não andava, não sentia o chão porque eu não conseguia entender como é que alguém poderia matar uma pessoa com quem estava contracenando e que não havia feito nada de mau", desabafou.

Veja a entrevista na íntegra:


Leia também

Web Stories

+
Como estão Suzane von Richthofen e Daniel Cravinhos 19 anos depois do crime?42 anos depois: Por onde anda o elenco da novela Pai Herói?A Fazenda 13: Sem barracos, Liziane frustra público e é eliminada; veja trajetóriaComo Lázaro Ramos e Taís Araujo: 7 casais formados nos bastidores da GloboSex Education vai ter 4ª temporada? Veja cinco curiosidades sobre a série

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Além de Pantanal, qual novela antiga merecia um remake?