Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

EXTRAPOLOU

Porta dos Fundos é acusado de machismo por vídeo sobre vereadora de Curitiba

Reprodução/Youtube

Humorista Nelly caracterizada com peruca morena, blusa azul e saia rosa

Humorista Nelly caracterizado como vereadora mais votada de Curitiba em vídeo do Porta dos Fundos

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 23/11/2020 - 10h38
Atualizado em 23/11/2020 - 21h15

O canal Porta dos Fundos foi acusado de machismo e misoginia nas redes sociais, nesta segunda-feira (23), devido ao conteúdo de seu vídeo mais recente. Segundo os internautas, a esquete chamada Yollanda Vereadora foi gravada com base em Indaiara Barbosa, a vereadora mais votada nas eleições de Curitiba, no Paraná, integrante do partido Novo. Após as críticas, a produtora negou a "inspiração" e tirou o vídeo do ar.

O conteúdo sugere que a vereadora participou de orgias e "vazou" nudes de si mesma. Muitos seguidores viram na paródia uma ofensa à Indaiara.

A descrição do vídeo publicado nas redes sociais da produtora diz: "Pela família curitibana brasileira, pelas casas de swing, pelos garotos de programa, pela galera do OnlyFans, pelo clubinho de BDSM e por todos os sigilosos, avisem ao povo que Yollanda está eleita!".

O youtuber Felipe Neto foi um dos internautas que se manifestou contra a esquete. Segundo ele, a sátira é "inaceitável". "Eu acho o partido Novo patético. Típica turminha neoliberaloide que sonha em ver ricos ficando mais ricos, enquanto grita 'é meritocracia' para os mais pobres. Contudo, o vídeo feito pelo Porta dos Fundos sobre a vereadora do partido foi inaceitável. Totalmente horrível", escreveu o influenciador no Twitter.

A vereadora eleita também se manifestou por meio da plataforma. Para ela, a esquete não a usou como exemplo. Contudo, repudiou a ideia do canal. "Apesar de ter sido a vereadora mais votada de Curitiba, certamente essa personagem não sou eu. É uma pena que o Porta dos Fundos associe o sucesso de uma mulher a alguma conotação sexual. Temos muito trabalho para mudar essa cultura retrógrada", disse ela.

Porta dos Fundos também já foi acusado de intolerância religiosa no passado.

No início da noite, a produtora tirou a esquete das suas plataformas digitais e emitiu um comunicado sobre o caso: "O Porta dos Fundos reconhece que o vídeo Yollanda Vereadora não condiz com o que acredita e, por isso, optou por tirá-lo de seus canais. A personagem já existe há nove anos --uma senhora que preza pela sua liberdade sexual-- e é totalmente fictícia".

"Em nenhum momento o Porta dos Fundos tentou parodiar ou fazer graça com qualquer pessoa real. O Porta dos Fundos acredita que o Brasil precisa de mais mulheres em cargos públicos e agradece a sua comunidade por estar sempre trocando e crescendo juntos", complementou o grupo humorístico no posicionamento.

Confira algumas reações abaixo:


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você quer ver no retorno de Amor de Mãe?