Fabiula Nascimento

No ar em Segundo Sol, atriz já foi chapeira, cabeleireira e trabalhou de graça

Reprodução/Globo

Fabiula Nascimento em cena como a personagem cacau de Segundo Sol: início de carreira difícil - Reprodução/Globo

Fabiula Nascimento em cena como a personagem cacau de Segundo Sol: início de carreira difícil

REDAÇÃO - Publicado em 05/08/2018, às 09h52

Antes de interpretar a Cacau de Segundo Sol, Fabiula Nascimento passou por profissões que nada têm a ver com o ofício de atriz. Natural de Curitiba, Paraná, ela trabalhou em empreendimentos de seus pais, como um restaurante e um salão de beleza. Quando decidiu entrar para o teatro, a profissional de 39 anos também teve de encarar papéis extremamente coadjuvantes até se firmar na carreira.

"Nada foi de graça para mim. Se queria alguma coisa, tinha que lavar o chão em troca. Trabalho desde os 9 anos. Minha família teve restaurante, bar na praia, eu preparava sanduíche na chapa. Aos 15, abri um salão de beleza com minha mãe. Sabe quando a vida parece já estar definida? Mas eu não queria aquilo, sempre tive um olhar mais lúdico para as coisas", disse Fabiula em entrevista ao jornal O Globo.

Ela começou a se interessar seriamente por teatro na adolescência, e seu primeiro trabalho foi no papel de um rato em uma montagem infantil de Cinderela. "Comecei ali a carreira nos palcos. Estudava à noite e me apresentava em projetos de teatro da escola durante a semana", contou.

Após sair da casa dos pais, aos 19 anos, Fabiula acredita que só conseguiu seu primeiro grande destaque na carreira aos 29, quando engordou sete quilos para viver uma prostituta no filme Estômago (2007). Não ganhou nada pelo trabalho. "Era uma produção com pouco dinheiro. Mas até hoje não fiz outro trabalho tão significativo e que tenha mudado tanto minha vida", declarou.

Hoje, ela interpreta a dona de restaurante Cacau, mulher que batalhou para conquistar seu sonho profissional e vive dividida entre dois homens, Roberval (Fabricio Boliveira) e Edgar (Caco Ciocler). "O que mais escuto nas ruas é que Cacau não deve ficar com nenhum dos dois", revelou a atriz.

Apesar desse conflito, Fabiula se identifica com sua personagem, principalmente pela força de vontade e pelo feminismo. 

"Ela é dona do seu desejo, do seu corpo, é feminista. Comete erros, faz apostas erradas, mas é independente, tem o próprio trabalho. Tive vários momentos feministas [na carreira]. Claro que o machismo imperou, mas sempre me posicionei. Nunca sofri assédio, por exemplo. Se alguém pensou em chegar em mim dessa forma, desistiu. Meu negócio é olho no olho", afirmou.

Além da novela, Fabiula também aparecerá em quatro filmes até o final de 2018. Casada com o ator Emilio Dantas, o Beto Falcão de Segundo Sol, ela disse estar em seu melhor momento de vida. 

"Construímos uma família. Somos nós dois e três cachorros. Tem pessoas que a gente não pode deixar escapar. Os 40 representam minha melhor fase. Eu me sinto com 30, mas tem dias em que acordo com 12. Ou 83!", brincou.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Qual deve ser o final de Laureta em Segundo Sol?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook