Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

LUTO

Morre Rubem Fonseca, criador de Tempo de Amar e da minissérie Agosto

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Rubem Fonseca em imagem de arquivo da Globo

Rubem Fonseca em imagem de arquivo da Globo; escritor sofreu parada cardíaca aos 94 anos, no Rio de Janeiro

REDAÇÃO

Publicado em 15/4/2020 - 16h10

O escritor Rubem Fonseca morreu, aos 94 anos, nesta quarta-feira (15), vítima de infarto. Ele passou mal em sua casa, no Leblon, no Rio de Janeiro, e chegou a ser levado para o Hospital Samaritano, em Botafogo, mas não resistiu. Na televisão, ele foi o criador de novelas como Tempo de Amar (2017) e da minissérie Agosto (1993), exibidas na Globo. 

Vencedor de prêmios importantes da literatura, como o Camões, em 2003, e o Machado de Assis, da Academia Brasileira de Letras (ABL), em 2015, Fonseca teve várias de suas obras adaptadas para a televisão e para o cinema.

Tempo de Amar foi estrelada por Bruno Cabrerizo e Vitória Strada. Na trama, Maria é uma portuguesa que se apaixona por Inácio, um rapaz pobre. Ele parte para o Brasil para arrumar dinheiro sem saber que deixou a amada grávida. A história de amor dos protagonistas é verídica e foi vivida pela avó de Fonseca.

Já a minissérie Agosto, exibida pela Globo em 1993, foi baseada na obra homônima do romancista. José Mayer e Vera Fischer ocuparam os postos de protagonistas. Em 2005, sua criação Mandrake virou série na HBO com Marcos Palmeira como protagonista. Seu filho, José Henrique Fonseca, assinou o roteiro da produção.

A primeira série feita pela HBO no Brasil fez tanto sucesso, com direito a indicações ao Emmy Internacional, que levou a gigante norte-americana a ampliar seu investimento em obras originais nacionais.

Lúcia McCartney, outro conto de sucesso sobre uma garota de programa, virou série no GNT em 2016. Antônia Morais, filha de Gloria Pires, assumiu o papel da protagonista da produção.

No cinema, sua obra Bufo & Spallanzani, de 1986, virou filme em 2001. O romance policial foi estrelado por José Mayer na pele do detetive Ivan Canabrava. Maitê Proença, Tony Ramos, Zezé Polessa e Milton Gonçalves também integraram o elenco.

Trajetória

José Rubem Fonseca, seu nome de batismo, nasceu em 11 de maio de 1925, em Juiz de Fora, Minas Gerais. Formado em Direito, trabalhou em outras profissões antes de se dedicar exclusivamente a literatura.

No início dos anos 1950, ele foi comissário de polícia, em São Cristóvão, no Rio de Janeiro. Em 1953, ele e outros policiais foram escolhidos para estudar nos Estados Unidos. No exterior, cursou Administração na New York University. Sua exoneração da polícia aconteceu em 1958.

Depois, trabalhou no Instituto de Pesquisa e Estudos Sociais (Ipes) e na Light, empresa privada de distribuição de energia elétrica do Rio de Janaeiro, antes de se dedicar à literatura.

Conhecido por renovar a literatura brasileira, o escritor tem entre seus principais livros O Caso Morel (1973),  Feliz Ano Novo (1975), O Cobrador (1979) e A Grande Arte (1983).

Foi casado com a tradutora Théa Maud (1929-1997). Fonseca deixa três filhos: Maria Beatriz, José Alberto e o cineasta José Henrique Fonseca, que é casado com a atriz Claudia Abreu.

Veja nota de falecimento:

Rio de Janeiro, RJ (15 de abril de 2020)

O Hospital Samaritano de Botafogo informa que o Sr. Rubem Fonseca faleceu na tarde desta quarta-feira (15/4) em decorrência de uma parada cardíaca. A instituição se solidariza com os familiares e amigos do escritor.

Hospital Samaritano de Botafogo

Prêmio NTV Melhores do ano

Leia também

Enquete

Qual foi o melhor telejornal ou programa jornalístico do ano?

Web Stories

+
Ficção virou realidade: Casa de Esqueceram de Mim é aberta ao público; veja fotosDivórcio, tragédia e treta: 5 notícias que peões de A Fazenda 13 não sabemJuan Paiva rouba a cena em Um Lugar ao Sol; conheça a história do atorGui Araujo deixa A Fazenda 13 após expor lado prepotente e preconceituoso; relembreDe série na Netflix a aposentadoria: Por onde anda o elenco de O Cravo e a Rosa?

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas