Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

ALÉM DO DINHEIRO

Mansões com preço surreal: Por que famosos 'sofrem' para vender imóveis?

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM e DIVULGAÇÃO/MBRAS

Montagem de fotos com Luan Santana sem camisa e mansão que ele tenta vender por R$ 43 milhões

Luan Santana tenta vender mansão de R$ 43 milhões na região metropolitana de São Paulo

VINÍCIUS ANDRADE

vinicius@noticiasdatv.com

Publicado em 2/5/2022 - 6h45

Já pensou em comprar uma cobertura em um dos endereços mais badalados de São Paulo por R$ 70 milhões? E uma mansão de 1,5 mil metros quadrados por R$ 63 milhões? Além de ter muito dinheiro, também é necessário passar por um longo processo de contratos e pelo crivo de diferentes empresas. O negócio pode se tornar ainda mais difícil quando tem celebridades ou empresários famosos envolvidos.

A compra de imóveis luxuosos envolve, em alguns casos, confidencialidade total em relação ao vendedor, levantamento criterioso sobre a capacidade financeira do interessado e questões como segurança. Chiquinho Scarpa, por exemplo, já teve que desfazer uma venda porque o comprador não comprovou a origem do dinheiro.

Um dos cantores mais famosos do Brasil, Luan Santana tenta negociar sua mansão de mais de 2 mil metros quatros quadrados de área construída em Santana de Parnaíba, região metropolitana de São Paulo. O sertanejo fixou o valor da casa em R$ 43 milhões.

Como o artista tem inúmeros fãs, o local poderia se tornar um ponto turístico de pessoas com mais interesse em fazer uma visita à residência do cantor do que propriamente comprá-la. Para evitar esse tipo de comportamento, imobiliárias de alto padrão contam com processos para afastar curiosos.

"Nós temos um crivo de checagem de capacidade financeira. Por questões de segurança e para não abrir a privacidade do vendedor do imóvel", explica Lucas Melo, diretor-executivo da Mbras Soluções Imobiliárias, ao Notícias da TV.

A empresa é responsável pela venda de mansões como a de Luan Santana. Além dele, celebridades como Luciana Gimenez e Chiquinho Scarpa também têm imóveis listados na plataforma. Outros famosos preferem esconder quando tentam negociar uma residência.

"Tudo depende do perfil da celebridade. Alguns desejam revelar que são os proprietários dos imóveis, outros preferem sigilo e confidencialidade total, assim como alguns empresários. Essa escolha tem muito a ver com a questão da segurança do imóvel e dos proprietários", diz o executivo.

FOTOS: DIVULGAÇÃO/MBRAS

Cobertura de Luciana Gimenez

Cobertura de Luciana Gimenez custa R$ 70 milhões

Preços astronômicos

Nesse "crivo de checagem de capacidade financeira", a pessoa precisa comprovar que tem condições para gastar os R$ 43 milhões na compra da mansão de Luan ou então que pode desembolsar R$ 70 milhões pedidos por Luciana Gimenez em sua cobertura.

Caso o interessado seja aprovado, aí as visitas e outras partes dos trâmites são liberadas. "Vender um imóvel de alto padrão é muito diferente. É um público que não aceita erros, a parte jurídica é mais complexa por terem várias empresas, as cifras são muito maiores, e o prazo entre definir a compra e comprar é muito maior, pois já estão instalados e querem um profissional mais gabaritado", informa Lucas Melo.

Se em uma compra de "imóvel comum", os maiores entraves passam pela liberação do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e da taxa de juros de financiamento oferecida pelo banco, o mercado de luxo tem exigências ligadas à experiência do comprador, que não tem pressa de fechar o negócio e preza pelo atendimento.

"Em um imóvel popular, alguns detalhes não são tão destacados, a pessoa necessita do imóvel para uma mudança. Esse público [que compra imóveis luxuosos], não. No geral, já moram muito bem e só vão comprar se o atendimento for de excelência", avisa o diretor da Mbras.

A notícia de que a mansão de Luan Santana estava à venda veio à tona em novembro do ano passado. O imóvel conta com detalhes como cinco suítes, home theater, escritório, espaço gourmet coberto, piscina com borda infinita, sauna, ofurô e 20 vagas de garagem.

Mansão de Chiquinho Scarpa

Uma das salas da mansão de Chiquinho Scarpa

Enroscos na venda

Chiquinho Scarpa tenta vender sua mansão desde 2011. A ideia inicial era se desfazer da casa por R$ 120 milhões, mas agora ela está listada pelo valor que ele considera mínimo: R$ 63 milhões. Em 2019, em entrevista ao Notícias da TV, o empresário contou que quase vendeu o imóvel, mas o negócio foi melado pelo Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras).

"Tinha um comprador árabe. Ele ia comprar essa casa aqui por R$ 120 milhões e um prédio do Michael Klein [filho do fundador das Casas Bahia] por R$ 800 milhões", lembrou ele, que complementou:

Ele trouxe o dinheiro da Arábia Saudita, passou pelo Banco Central, depositou no Banco Itaú, mas, quando eu fui fazer a venda, o Coaf não permitiu porque o árabe não tinha provado a origem do dinheiro. Aí eu fui reduzindo o preço. Fui pra R$ 100 milhões, depois pra R$ 80 milhões, e agora eu estou em R$ 63 milhões. R$ 3 milhões é a comissão para quem vende.

Luciana Gimenez também encontra dificuldades para vender o seu triplex, localizado na cobertura do Parque Cidade Jardim, na zona sul de São Paulo. Ela morou no imóvel de 1,8 mil metros quadrados de área privativa com o ex-marido, Marcelo de Carvalho, sócio e apresentador da RedeTV!. O preço do apartamento já chegou a cair de R$ 80 milhões para R$ 70 milhões, mas ainda não houve negócio.

Xuxa Meneghel demorou mais de três anos para conseguir se desfazer de sua mansão de 2.626 m² em um condomínio de luxo na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Ela chegou a anunciar em sites internacionais por US$ 8,7 milhões (R$ 43 milhões), mas fez o negócio com a cantora Karinah.


Leia também

Enquete

Pantanal perde audiência: novela está chata?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.