Bloqueio emocional

Fábio Porchat revela que fez hipnose com Pyong Lee para conseguir chorar

Reprodução/Youtube

Pyong Lee durante sessão de hipnose feita com o apresentador Fábio Porchat em 2017

Pyong Lee durante sessão de hipnose feita com o apresentador Fábio Porchat em 2017

REDAÇÃO - Publicado em 15/03/2020, às 08h38

Fábio Porchat não está acompanhando o BBB20 assiduamente na TV, mas revelou que tem simpatia por um participante: Pyong Lee. O apresentador contou que já passou por uma sessão de hipnose com Pyong e acha que o método funcionou, mas não completamente. Porchat diz que o hipnólogo não conseguiu cumprir o desafio de lhe fazer chorar.

"A cada dia, 'cancelam' um no Big Brother, não dá para defender ninguém. Mas eu adoro Pyong. Ele já me hipnotizou de verdade, só que não conseguiu me fazer chorar, como eu o desafiei", disse ao jornal Extra.

"Eu não choro nunca! Não consigo, nem sei qual é a sensação. Travo a cara toda, mas não saem lágrimas. É algo racional. Topei a hipnose para tentar desatar isso. Pyong me fez esquecer meu nome, falar cantando, gargalhar à toa. Mas, quando tentava me induzir ao choro, o nó parava na garganta. No fim, falou: 'Fabio, você criou algum bloqueio para impedir coisas tristes de virem à tona'", lembrou o humorista.

O encontro com Pyong aconteceu em 2017, e Porchat ainda segue com o bloqueio emocional em relação ao choro. "Deve ser por isso que eu desenvolvi psoríase [doença de pele desencadeada por fator emocional)]", acredita. Nem em seu próprio casamento o apresentador chorou.

"No meu casamento [em novembro de 2017], minha mulher praticamente me obrigou a chorar. Disse que ficaria chateadíssima se não acontecesse. Aí, escorreu uma lágrima aqui, fiz uma caretinha e convenci", brincou. Os dois se casaram novamente no mês passado, numa cerimônia divertida em Las Vegas, Estados Unidos, celebrada por um sósia de Elvis Presley.

De volta ao Brasil, ele estreou a nova temporada de seu programa no GNT, Que História É Essa, Porchat?, na última terça (10). Com formato elogiado por público e crítica, o apresentador se sente satisfeito.

"Todo mundo que me encontra diz: 'Ah, você precisa conhecer fulano!'. Sempre tem alguém com um bom relato para me indicar, o que eu acho maravilhoso! Nosso programa começou despretensioso, mas agora eu tenho um objetivo: virar referência no segmento. Quero que as pessoas insistam: 'Você tem que contar essa história no Porchat!'", afirmou.

Na entrevista, Porchat também falou sobre política. O humorista diz que se considera de esquerda, mas não é a favor de Lula, muito menos de Bolsonaro. Ele considera votar em Luciano Huck, se o apresentador vier a se candidatar um dia à Presidência.

"É um cara inteligente, superpreparado, com boa vontade. Mas ainda é cedo, estamos em 2020, precisamos primeiro tirar o [Marcelo] Crivella [prefeito do Rio de Janeiro] do cargo nas urnas, depois a gente pensa quem entra na Presidência".

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Que jornalista está fazendo o melhor trabalho durante a pandemia?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook