Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

NO TWITTER

Eduardo Bolsonaro usa Marcius Melhem para novo ataque à Globo

Najara Araújo/Agência Câmara

De máscara, Eduardo Bolsonaro discursa para vários microfones de televisões e rádios

Eduardo Bolsonaro discursa após encontro da CPI das fake news em Brasília, em 15 de julho

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 7/12/2020 - 15h08

Filho do presidente Jair Bolsonaro, Eduardo usou o escândalo envolvendo o ator e autor Marcius Melhem para um novo ataque à Globo. Nesta segunda, o deputado federal resgatou uma foto de 2014 em que o humorista segura um cartaz com a frase "Eu não mereço ser estuprada" para acirrar a disputa com a emissora que sua família considera inimiga. "Hipocrisia que fala?", alfinetou ele.

A imagem de Melhem começou a ser recuperada pela internet no fim de semana. A foto mostra o ex-diretor do Humor da Globo em uma participação no Altas Horas, da Globo, no qual foi debatida justamente a violência contra a mulher. 

Confira a publicação de Bolsonaro:

A foto é do programa de Serginho Groisman de 5 de abril de 2014, do qual também participaram Claudia Leitte, Juliana Paes e Marcelo Adnet. A escritora e jornalista Nana Queiroz liderou o bate-papo sobre a violência contra a mulher.

Naquele ano, a profissional criou a campanha Eu Não Mereço Ser Estuprada como protesto a uma pesquisa do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) que divulgou que 65,1% dos brasileiros concordavam, total ou parcialmente, que "mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas".

A questão foi debatida na atração de Groisman pelos convidados, que posaram para fotos com o cartaz em punho. No programa, inclusive, Claudia deu seu depoimento sobre o tema. "Não é porque estou dançando no palco, que sou um objeto sexual. O respeito tem que existir", desabafou.

Nas redes sociais, outros internautas seguiram os passos de Eduardo Bolsonaro. "Enfim, a hipocrisia do Marcius Melhem", escreveu Sidney Andreato. "Marcius Melhem já protestou pela causa feminista na Globo", observou Marcela Medeiros.

No sábado (5), em entrevista de mais de uma hora com os jornalistas Mauricio Stycer e Dolores Orosco, do UOL, o ex-diretor admitiu que errou e que teve atitudes no ambiente de trabalho e pessoal que, atualmente, não cabem mais. Ele negou, no entanto, ser uma pessoa violenta ou que tenha assediado sexualmente mulheres que estavam em seu departamento na Globo.

"Depois de um ano eu consigo entender que tudo o que aconteceu e está acontecendo comigo, aconteceu a partir dos meus erros. Hoje eu entendo que eu tive comportamentos, atitudes que não cabem mais. Eu fui um homem tóxico, um marido péssimo, uma pessoa que cometeu excessos em se relacionar com pessoas dentro de seu próprio ambiente de trabalho", declarou.

Ele afirmou que a longa reportagem publicada na revista Piauí é uma narrativa com muitas histórias inventadas, e que ele está processando a advogada Mayra Cotta e fazendo uma interpelação judicial a Dani Calabresa para que ela confirme ou desminta tudo o que foi relatado na publicação.

Veja mais publicações sobre Marcius Melhem no Twitter:


Leia também

Web Stories

+
Bastidores de O Diabo Veste Prada tiveram atriz deprimida e look vetado, saiba maisJuliette, Zico e Anitta: Sete celebridades que viraram tatuagens de fãsOportunidade de brilhar: Cinco PCDs que atuaram na TV brasileiraLançamentos da semana têm filme indicado ao Oscar e comédia sangrentaJuliette, craques do futebol e estrelas do pop: Os 10 maiores influenciadores do mundo

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Você gostou da escolha da reprise de Pega Pega?