Rodrigo Andrade

Doente, ator vai à igreja, ganha Bíblia e emprego em novela da Record

Zé Paulo Cardeal/TV Globo

Rodrigo Andrade durante entrevista ao Programa do Jô, em 2016; hoje ele está na Record - Zé Paulo Cardeal/TV Globo

Rodrigo Andrade durante entrevista ao Programa do Jô, em 2016; hoje ele está na Record

FERNANDA LOPES - Publicado em 18/06/2018, às 05h50

O papel do apóstolo Simão em Jesus, próxima novela bíblica da Record, chegou como um sinal espiritual para Rodrigo Andrade. O ator de 34 anos tinha começado a ler a Bíblia, que ganhara de um pastor norte-americano em um momento difícil de saúde, e conversava com a mulher sobre uma passagem do livro quando o telefone tocou. Era um produtor de elenco da Record com uma proposta de trabalho.

"No final do ano passado, eu estava nos Estados Unidos e fiquei doente, de cama. Tive faringite, rinite, sinusite, dor de cabeça, passava muito mal. E não sarava, achei que tinha um cunho espiritual. Procurei um centro espírita, mas quando cheguei lá ele não existia, no endereço tinha uma igreja evangélica", relata.

"O pastor foi muito legal comigo, me deu uma Bíblia e mandou ler o Evangelho de João, se eu achasse bacana. Achei interessante e logo comecei a ler os outros evangelhos. Voltei pro Brasil e estava um dia conversando com minha mulher sobre algumas passagens quando tocou o telefone com o convite da Record", lembra.

Apesar de não se considerar evangélico ou seguidor de qualquer religião, Andrade afirma que é muito ligado a Deus e logo entendeu que não poderia deixar de fazer esse trabalho. "Estava tudo direcionando pra isso. Não deixa de ser um sinal. É um momento da minha vida em que eu já estava buscando uma espiritualidade maior, queria desacelerar um pouco, ficar em paz comigo mesmo", conta.

O ator já começou a se preparar para o personagem, que será seu primeiro trabalho na Record. Antes de ser escalado para viver Simão, o ator chegou a pedir papel para Walcyr Carrasco em O Outro Lado do Paraíso (2017).

"Eu queria fazer um cabeleireiro gay, simples, com cenas de barraco, comédia. Liguei para ele, falei: 'Walcyr, deixa eu fazer esse personagem'. Mas já estava com o Fábio Lago [que viveu o personagem Nicácio]", explica.

Na Globo, Andrade fez sete novelas, a maioria escrita por Walcyr Carrasco: Caras e Bocas (2009), Gabriela (2012), Amor à Vida (2013) e Eta Mundo Bom! (2016).

Além de Simão, que deve interpretar até dezembro na Record, ele sonha em interpretar dois tipos de personagens na carreira. "Tenho muita vontade de fazer um travesti, numa história mais séria. E um esquizofrênico também. Vou fazer, nem que eu tenha que escrever uma peça, eu faço", promete.

reprodução/youtube

Além de ator, Rodrigo Andrade também é cantor sertanejo e publica vídeos no YouTube

Sertanejo divertido

Nos últimos dois anos, Andrade havia deixado a carreira de ator de lado para se dedicar à música. Ele também é cantor sertanejo, tem três CDs lançados e fazia em média 15 shows por mês (por isso se sentia exausto e até doente).

"Já estava cansado de ficar só na estrada, dormir mal, comer mal. E estava encarando a música de uma maneira estritamente profissional e comercial, já não fazia mais o que estava no meu coração", explica.

Agora, Andrade decidiu deixar a carreira solo de lado e investir na novela e num projeto cômico: a dupla sertaneja Zé Barreiro e Catuaba, que criou com um amigo de infância durante um churrasco no qual os dois estavam bêbados. 

"Desde criança a gente compunha músicas engraçadas. Eu sou fã doente de Mamonas Assassinas. No segundo semestre, a gente lança o disco. Soltamos uma música nas plataformas digitais, chamada La Prima de Escobar. A partir de novembro, a gente começa a fazer shows. Já tenho acertado com a emissora que, se as gravações de Jesus se estenderem, vou cumprir os compromissos", afirma.

Leia também

 

 

Enquete

O que você achou do vaivém de Datena na Band?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook