Roberto Guilherme

Coadjuvante sem modéstia, ator é chamado de Sargento Pincel até pela mulher

Alex Carvalho/TV Globo

O ator Roberto Guilherme, mais conhecido pelo público e pela família como Sargento Pincel - Alex Carvalho/TV Globo

O ator Roberto Guilherme, mais conhecido pelo público e pela família como Sargento Pincel

FERNANDA LOPES - Publicado em 24/05/2018, às 05h30

No ar em humorísticos há 53 anos, Roberto Guilherme não é chamado por seu nome nem pela própria família. O ator de 79 anos, que grava atualmente a série Dra. Darci no Multishow, é conhecido há mais de quatro décadas por seu personagem de mais sucesso: Sargento Pincel, coadjuvante em Os Trapalhões (1982-1995) e A Turma do Didi (1998-2010). Guilherme perdeu espaço para Pincel até com sua mulher.

"Minha mulher só me chama de Pinça. Perdi meu nome, Roberto Guilherme já era há muito tempo. No máximo, sou Roberto Pincel. O povo me chama assim, meus filhos, netos. Mas é com orgulho que eu sinto isso, que o Sargento Pincel tenha absorvido meu nome real. Acho legal, uma vitória, um Oscar na profissão. A coisa mais difícil que tem é ser absorvido pelo povo", valoriza.

Sargento Pincel surgiu em 1966, quando Guilherme atuava no programa Quartel do Barulho, da Record. Era um militar rígido e irritado que contracenava com o malandro Soldado 49, interpretado por Renato Aragão. O comediante lembra que o trabalho com Aragão exigia que ele fosse um coadjuvante de primeira.

"Muitos atores não gostam de ser coadjuvantes, porque na cabeça deles é inferior ao protagonista. Na minha, não. Ser coadjuvante é muito difícil. O protagonista fica à vontade, faz o que bem entende, e você tem que acompanhá-lo dentro de tudo aquilo que ele criou", explica.

"Sem modéstia, sou considerado um dos melhores coadjuvantes do país até hoje. Aragão é um inferno pra botar caco [improvisos] em texto. Para acompanhá-lo, tem que ter muita categoria e habilidade", revela.

O próprio Guilherme já foi sargento na vida real: era militar do setor de paraquedismo, mas fez um teste para trabalhar em uma peça de teatro em 1960 e, depois disso, passou a trabalhar apenas como ator.

Na Globo, além das atrações de Renato Aragão, atuou em Viva o Gordo (1981-1982), Zorra Total (2008-2015) e Zorra (2015-2017), no que chama de "programação feijão com arroz". "É coisa simples, bem tratada, sem muita sofisticação. Para fazer o povo rir", defende.

Divulgação/tv globo

O ator Roberto Guilherme em cena com Renato Aragão, em As Aventuras do Didi (2010)

Sua próxima empreitada popular será Dra. Darci, comédia com auditório que estreia no Multishow no próximo dia 18. No humorístico, Tom Cavalcante interpreta Darci, um homem desempregado que arruma um bico como conselheiro em um programa de rádio. Ao perceber que a maioria das pessoas acha que o Conselhos de Darci é comandado por uma mulher, ele passa a se vestir como tal e faz sucesso.

A nova aparência de Darci também desperta a atenção do sogro, interpretado por Roberto Guilherme. "O coroa é viúvo, gosta muito de viver a vida, está sempre procurando alguém. É um coroa danado, só anda de bermuda, jaquetinha, tênis, pochete. Um belo dia, vê Darci vestido de mulher em casa, [não o reconhece] e começa a se engraçar por 'ela'", conta Guilherme.

Perto de completar 80 anos, ele ainda precisa de maquiagem para aparentar velhice e ficar com bigode e sobrancelha brancos. O ator diz que não se importa em parecer idoso na TV. Quer mais é passar por situações ridículas e divertir o público.

"Nunca liguei pra idade, sei que ela vem e estou indo ao encontro dela. Idade não é sinônimo de velhice, o talento não está na idade. Nós chegamos ao cúmulo do ridículo para que o povo ria. [Dos amigos antigos,] Só resta eu, Aragão e Dedé [Santana]. E não estamos com pressa de subir. Ainda temos muito a dar", afirma.

Leia também

 

+ Lidas

Enquete

O novo Vídeo Show tem chance de sucesso?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook