Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

SAMYA PASCOTTO

Atriz detona masculinidade após música de Tiago Iorc: 'Faz da violência seu ganha pão'

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

Samya Pascotto posando para um ensaio no Instagram. Ela está em um fundo branco, veste uma blusa de malha branca e faz biquinho com a mão esquerda no ombro.

Samya Pascotto posando em seu Instagram; A atriz criticou a onda de "nova masculinidade" na música

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 16/11/2021 - 12h08

Em uma postagem no Instagram, Samya Pascotto fez duras críticas a quem, segundo ela, aborda a questão da masculinidade de maneira superficial com o intuito de lucrar. "A nova masculinidade faz da sua violência seu ganha pão. E você vai me perguntar: 'Qual a diferença para a antiga?'. As calças [estilo] pantalona, é claro. Porque, pra mim, segue sendo violência", escreveu a atriz nesta segunda-feira (15).

Alguns fãs insinuaram que as referências do texto dão a entender que ela estaria falando de Tiago Iorc, que dividiu os internautas ao lançar seu novo clipe, da música Masculinidade. Contudo, Samya faz questão de deixar claro que não é uma crítica unicamente a ele: "Engana-se quem pensa que estou falando de alguém específico, não estou. Conheço artistas demais pra me dar ao luxo de me irritar com apenas com um. Resolvi entrar no debate".

Segundo a atriz a 'nova masculinidade' é branca, cisgênero, heterossexual, magra e, além de reiterar estes padrões, trata de maneira equivocada temas sérios como abuso. "A nova masculinidade faz da sofreguidão de sua própria violência um estandarte. Diz: 'Fui abusivo e sofro, agora me dê sua compaixão, seu like e seu dinheiro'", descreveu.

Ou seja, para ela, fazer desabafos relatando violências provocadas, mesmo que em tom de arrependimento como Iorc faz em sua nova canção, é problemático. "É sobre mim, sobre minhas amigas e sobre alguma menina que foi abusada e está sozinha, em silêncio, e que não recebeu um pedido de desculpas até hoje assistindo a redenção do novo masculino televisionada, aplaudida, remunerada e debatida como exemplo", problematizou a atriz.

Ela sugere que os artistas que querem falar sobre estes abusos não o façam de maneira rasa em músicas, e sim que tomem atitudes concretas para reparar seus erros. "Sua violência não pode lhe render prêmios. Não pode. Vocês não podem tudo. Vá a terapia, faça um grupo de discussão com seus amigos. Peça desculpas para essas mulheres no privado. Eu não quero saber dos abusos genéricos que vocês rebolam e sofrem por aí", criticou.

Para Samya, se esses artistas quisessem de fato discutir a violência que homens causaram contra mulheres, seria necessário passar a limpo essa questão ao invés de usar o tema em benefício próprio. "Quero saber que abusos foram esses que vocês cometeram. O nome deles. Tenha coragem de produzir provas contra você mesmo. Seja processado por eles, já que abuso psicológico agora é crime também", propôs.

"Arque com as consequências reais do que você tem feito e diz que fez. Vocês estão dispostos? Ou só tá afim do aplauso? Quero ver quem bota o novo pau masculino na mesa agora que a gente tá com a faca", finalizou a atriz.

Confira abaixo a postagem na íntegra.


Leia também

Enquete

Pantanal perde audiência: novela está chata?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.