Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

FLÁVIO BAURAQUI

Ator de Segunda Chamada desabafa sobre ataque racista: 'Não consegui me defender'

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Flávio Bauraqui no estúdio do Encontro desta quinta-feira (14), ele veste uma camisa com estampa africana em tons de preto e beje e segura o microfone com a mão direita

Flávio Bauraqui no Encontro desta quinta-feira (14); o ator relembrou um ataque racista

Flávio Bauraqui desabafou sobre um ataque racista que sofreu antes de ficar mais conhecido. "Se ele falasse comigo hoje, ele não falaria possivelmente, mas na época eu era tão ingênuo que não consegui me defender, fiquei calado e fui pra casa pensando sobre tudo isso", relatou o ator no Encontro desta quinta-feira (14).

O intérprete de Sandro na série Segunda Chamada foi convidado para divulgar o filme Medida Provisória (2022), que estreia nesta quinta, e foi questionado se já sofreu racismo na vida real: "Eu estava em Copacabana, e não era pessoa pública ainda, entrei em uma loja de departamento e fui andando pelo espaço. De repente um rapaz, funcionário da loja, falou: 'O que você está fazendo aí? Eu falei que só estava olhando as coisas e ele disse: 'Mas aí não pode entrar'".

"Mas não tinha nenhuma parede ou algo que indicasse que eu não podia entrar, aí ele disse assim: 'Eu sei muito bem o que você está querendo'. Eu falei: 'Você está falando de um jeito deduzindo que eu estou querendo roubar alguma coisa'. Ele falou: 'É isso mesmo, é isso mesmo'. E eu falei: 'Você não pode falar assim comigo!'. E ele falou uma frase que ficou ecoando na minha cabeça por muito tempo, falou assim: 'Mas você é quem?'", detalhou.

Na sequência do desabafo, Bauraqui revelou que acredita que o caso não ocorreria atualmente, por estar na TV e no cinema: "E eu fiquei pensando 'eu sou quem?', dentro dessa organização toda, quem eu sou? Se ele falasse comigo hoje, ele não falaria possivelmente, mas na época eu era tão ingênuo que não consegui me defender, fiquei calado e fui pra casa pensando sobre tudo isso".

O caso veio à tona porque outra convidada foi ao programa justamente para falar sobre o ataque racista que sofreu e repercutiu na mídia. Mônica Rosa e seu sobrinho foram atacados em uma cafeteria no Barra Shopping, no Rio de Janeiro, em 25 de outubro de 2020. Mas só em 11 de abril de 2022 a polícia identificou o suspeito e prosseguiu com a investigação.

Confira no vídeo abaixo um trecho do momento:


Leia também

Enquete

Qual o personagem mais chato de Pantanal?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.