GÊMEO DA TV

Após UTI por causa do coronavírus, Flávio Mendonça relata tratamento: 'Cansaço'

ANTONIO CHANESTIAN/RECORD

Flávio Mendonça posa nos bastidores do reality Made in Japão, da Record

Flávio Mendonça nos bastidores do reality Made in Japão, da Record; modelo em recuperação após Covid-19

REDAÇÃO - Publicado em 04/04/2020, às 14h27

Flávio Mendonça, que fez sucesso nos anos 2000 ao lado do irmão gêmeo Gustavo, narrou sua recuperação após ter ido parar na UTI por causa do coronavírus. "Estou sentindo um pouquinho de cansaço, que eu acho que é normal pelo caso da pneumonia que eu tive. Mas estou ótimo", disse em sua rede social na noite de sexta-feira (4).

"Estou me recuperando muito bem. Estou me cuidando muito. Ficando muito em casa, com a minha família, com meus filhos. Voltei a me alimentar de uma maneira incrível, o apetite está a mil. [Estou] Comendo muita fruta, hidratando bastante e descansando", contou em seu Instagram.

Na terça-feira (31), o modelo fez um relato sobre a internação no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. "Achei que morreria", disse o atleta de 41 anos. "Eu vou passando para vocês a evolução. Sei que muita gente me questiona, me pergunta. Ainda continuo usando medicação, por mais uns cinco dias. Mas estou bem graças a Deus", comemorou.

Mendonça está no ar no Made In Japão, reality show que era exibido dentro Domingo Show, de Sabrina Sato. O programa foi totalmente gravado, e apenas o anúncio do campeão seria feito ao vivo --devido à pandemia, a Record pode mudar os planos.

Susto na UTI

Na terça-feira (31), Flávio Mendonça revelou que havia sido diagnosticado com o novo coronavírus. Em relato em sua rede social, ele disse que a doença foi "a pior experiência de sua vida".

"Em 13 de março, comecei com uma 'gripezinha' que incluía febre, dor no corpo, pouca tosse e muita fraqueza. Era um final de semana e eu estava na praia com os meus filhos. Em casa fiquei até a terça-feira (17) esperando melhoras, mas só me sentia pior. Fui ao hospital e, sem possibilidades de fazer exames para o coronavírus, fui instruído a voltar pra casa e manter a quarentena. Fiz isso e só piorava", contou.

"Retornei ao hospital no domingo (22) e já estava com um quadro grave de complicações pulmonares. Recebi um protocolo para tratar a pneumonia em casa. Antibióticos, antitérmico e quarentena. Após cinco dias, a febre deu uma trégua, mas o meu corpo parecia que havia saído de uma betoneira. Não conseguia sair da cama", continuou .

"Voltei ao hospital na sexta-feira (27) e fui internado para uma nova etapa de procedimentos. Meu quadro havia se agravado. A pneumonia estava resistente. Eu só pensava no pior. Tive medo de não voltar a ver a minha família e sofria muito. Como pode, meu Deus, um vírus excomungado como esse causar tanta dor, tanto sofrimento? A TV, as mídias sociais, só me mostravam o pior", lamentou.

"Fui aos poucos me fortificando, física e espiritualmente e consegui, com a ajuda das orações da minha família, dos meus amigos e com a competência da equipe médica do Hospital Albert Einstein vencer essa que foi a pior batalha que travei na minha vida”, ressaltou.

Confira o vídeo de Flávio Mendonça sobre sua recuperação:

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Que jornalista está fazendo o melhor trabalho durante a pandemia?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook