Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

SUCESSO EM 2019

Após deixar a Record, Fábio Porchat tem seu melhor ano com série, talk show e prêmio

REPRODUÇÃO/IEMMYS

Fábio Porchat segura o troféu da categoria de melhor comédia no Emmy Internacional

Fábio Porchat recebe seu troféu de melhor comédia no Emmy Internacional pelo especial de Natal do Porta dos Fundos

KELLY MIYASHIRO

Publicado em 24/12/2019 - 4h58

Após deixar a Record há pouco mais de 12 meses, Fábio Porchat considera que teve o melhor ano de sua carreira em 2019, com direito a lançamento de série e um talk show de sucesso, além da conquista de um Emmy Internacional. O ator avalia que sua jornada na emissora de Edir Macedo --da qual pediu demissão em dezembro de 2018-- durou o necessário.

"Foi superdoloroso sair, mas acho que foi uma atitude acertada", conta o apresentador ao Notícias da TV. Porchat está na lista de artistas que decidiram assumir o controle da própria carreira, não se sujeitando a ficar em uma só emissora, ou a trabalhar em apenas um projeto por vez.

Em outubro de 2018, Porchat havia avisado que deixaria a Record dois meses depois, decisão que não foi mudada e gerou certo desconforto com a diretoria da emissora. Apesar disso, o ex-funcionário relata que não sente mágoas. 

"Eu acho que o que eu previ que poderia acontecer aconteceu, e consegui ir por bons caminhos. Afinal, eu tinha um programa que eu gostava muito, que estava indo bem, estava em uma casa que tinha me recebido muito bem. Fico feliz pelas minhas escolhas terem dado certo", completa.

De lá para cá, sucesso não faltou. Em março, ele estrelou a série Homens?, exibida tanto no Comedy Central na TV paga quanto noPrime Video, plataforma de streaming da Amazon. Assim que encerrou a primeira temporada, a segunda já foi encomendada e será lançada no primeiro trimestre de 2020.

rEPRODUÇÃO/GNT

Fábio Porchat na abertura de seu talk show no canal GNT; programa foi renovado para 2020

Em agosto, o GNT (também da TV paga) lançou o programa Que História É Essa, Porchat?, que reúne famosos e anônimos para contarem histórias inusitadas --e até então inéditas-- para o público. No terceiro dia da CCXP (Comic-Con Experience), que aconteceu em São Paulo no início do mês, a produção realizou uma versão ao vivo do talk show, que lotou o ginásio Creators by Trigg instantaneamente. Uma pequena prova da audiência e da repercussão conquistada pelo formato. 

Com a ótima recepção do público, tanto na TV quanto em seu canal do YouTube, o GNT não demorou para confirmar uma segunda leva de episódios do programa, que será exibido sem pausas entre março e dezembro do ano que vem. 

Para completar o ano de Fábio Porchat, o Porta dos Fundos --grupo fundado por ele junto a Antonio Tabet, Fabio Porchat, Gregorio Duvivier, Ian SBF e João Vicente de Castro-- venceu a categoria de melhor comédia do Emmy Internacional. A estatueta foi conquistada pelo Especial de Natal: Se Beber, Não Ceie, lançado em parceria com a Neflix no fim do ano passado.

Durante o seu discurso de agradecimento, em Nova York, Fábio Porchat citou que o Brasil é governado por um presidente pior do que Donald Trump, atual líder dos Estados Unidos. Questionado pela reportagem se ele não sente receio em se posicionar, o humorista não poupa críticas a Jair Bolsonaro. 

"Eu me posiciono sempre. Eu só acho uma pena o Bolsonaro não governar. Ele se vinga. Ele só escolhe pessoas que não gostam da área que elas trabalham. Ministro do Meio Ambiente não gosta do meio-ambiente. A ministra dos Direitos Humanos não gosta dos direitos humanos. O cara da Fundação Palmares é racista", alfineta.

Porchat ressalta que o presidente está mais preocupado em punir o povo brasileiro do que assumir a liderança do país. "Ele devia governar para quem votou nele, que adora ele, e para quem não votou nele também. Ele não tinha que ficar de birra com a imprensa e atrapalhar a vida das pessoas. Vai trabalhar", dispara o apresentador. 

reprodução/youtube

Fábio Porchat em entrevista sobre o filme Frozen 2, que estreia nos cinemas em janeiro


Projetos para 2020

Se a carreira de Fábio Porchat foi atribulada em 2019, no ano que vem não será diferente. Logo nos primeiros dias do ano, será lançado o filme Frozen 2, animação da Disney na qual ela dubla o personagem Olaf, muito querido pelo público.

Além disso, ele lançará: a quinta temporada do Porta Afora, programa de entrevistas sobre viagens que mantém ao lado de Rosana Hermann; a segunda temporada do Que História; o Papo de Segunda, também do GNT, também continuará firme e forte; além do filme O Palestrante, com Dani Calabresa. 

O Porta dos Fundos também estreará seu primeiro reality show, em que atores amadores competirão por uma vaga no elenco do grupo humorístico. E a trupe produzirá um terceiro especial de fim de ano para a Netflix --mesmo depois da polêmica alcançada com o segundo, que mostrava um Jesus homossexual.

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Você acha que a Globo deu um tiro no pé em reprisar uma novela tão recente como A Força do Querer?

Sim, 2017 é logo ali
21.50%
Não, a novela merece ganhar esse espaço atual
18.71%
Vacilaram, tinham outras opções
42.03%
Não vejo, não sou capaz de opinar
17.76%