CANAIS DE NOTÍCIAS

CNN Brasil ignora protestos antirracistas, e GloboNews dá o triplo de audiência

REPRODUÇÃO/GLOBONEWS

Imagem de Leila Sterenberg conversando com Carolina Cimenti na GloboNews durante protestos na madrugada

Leila Sterenberg conversa com Carolina Cimenti na GloboNews durante protestos na madrugada

REDAÇÃO - Publicado em 31/05/2020, às 20h19

Alvo de críticas por ignorar a cobertura dos atos antirracistas nos Estados Unidos, a CNN Brasil despencou na audiência e sofreu uma derrota vergonhosa para sua principal concorrente, a GloboNews, na noite de sábado (30) e madrugada de domingo (31). O jornalismo do canal de notícias da Globo registrou mais que o triplo de audiência que as reprises do veículo recém-lançado no país.

Na noite de sábado, entre 19h09 e 20h40, a GloboNews entrou ao vivo com a cobertura dos protestos e registrou média de 166.736 televisores ligados. Enquanto isso, a CNN Brasil foi sintonizada por 49.772 domicílios.

O tema voltou a ser abordado na GloboNews às 22h, invadindo a madrugada e se estendendo até as 2h, registrando a média de 123.029 lares sintonizados. Nesta faixa, a CNN chegou a abordar rapidamente os protestos nos EUA, mas interrompeu a cobertura para reprisar uma entrevista com Leandro Karnal e exibir documentário sobre Hong Kong, registrando média de 66.536 televisores em todo o país.

Causou estranheza o fato de a CNN Brasil dar pouco espaço em seus telejornais para os protestos antirracistas nos Estados Unidos, mesmo podendo contar com toda a estrutura e materiais captados pela matriz, que teve sua sede norte-americana atacada por alguns dos manifestantes.

A GloboNews, com uma estrutura consideravelmente menor, contou com duas repórteres ao vivo no local, e foi bastante elogiada pelo público.

Nas redes sociais, foram muitas as publicações debochando do canal de notícias recém-lançado no Brasil. Na sexta-feira (29), a CNN abordou o assunto no último telejornal de sua grade, ancorado por William Waack, e também recebeu muitas críticas pelo fato de o apresentador ter sido demitido da Globo, em 2017, por uma fala de cunho racista.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Qual novela a Globo deve reprisar depois de Novo Mundo?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook