Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

LUIZ ALANO

Sem contrato após fazer história no SBT, narrador abre barbearia com o filho

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

Luiz Alano sorrindo ao lado do filho na barbearia deles, ambos de preto

Depois de fazer história no SBT, Luiz Alano abriu uma barbearia com o filho em Santa Catarina

RICARDO MAGATTI

ricardo@noticiasdatv.com

Publicado em 2/1/2021 - 7h10

O SBT decidiu investir na compra dos direitos de transmissão da Libertadores da América em 2020 após a Globo abrir mão da competição. No time de narradores, estava Luiz Alano. O profissional se destacou nos quatro jogos para os quais foi escalado, mas sua participação foi pontual, sem um contrato fixo, e terminou na fase de grupos do torneio. Agora, ele aguarda uma nova oportunidade para narrar mais partidas em 2021 na emissora de Silvio Santos. Enquanto isso, decidiu investir em uma barbearia com o filho em Tubarão (SC), sua cidade natal.

Na primeira fase da maior competição de clubes da América do Sul, Alano narrou dois jogos do Grêmio, contra Universidad Católica (CHI) e o Gre-Nal, além de outros dois confrontos do Flamengo, diante do Independiente Del Valle (EQU) e do Junior Barranquilla (COL). O locutor, de 43 anos, recebeu elogios dos torcedores e também foi bem avaliado pelos executivos.

"Quando eu recebi a chance no SBT eu tinha na cabeça que eu não podia errar, porque a oportunidade era tão grande e eu estava representando muita gente.  No fim, consegui agradar às pessoas que estavam torcendo por mim", diz ele ao Notícias da TV.

Além de ter feito seu trabalho com competência, Alano se orgulha de outro fato. Ele derrubou um tabu incômodo ao se tornar o primeiro narrador negro a comandar uma partida da Libertadores na TV aberta, fazendo história em um ambiente predominantemente dominado por brancos e virando referência para que esse panorama comece a se transformar.

"Foi um sentimento de muito orgulho. Fiquei até assustado por ter essa representatividade, de mostrar para uma grande comunidade de profissionais que têm qualidade que eles também podem. Quando me falaram isso de que eu tinha sido o primeiro negro a narrar Libertadores na TV aberta me deu uma alegria maior de representar muita gente", conta.

"Quando me dei conta de que seria o primeiro, coloquei na minha cabeça que não podia errar", emenda o catarinense, que passou 15 anos no Grupo Globo, entre jogos narrados na RBS, filial da Globo no Rio Grande do Sul, SporTV e Premiere. Ele estava acostumado a trabalhar em partidas de times do Sul do país e teve a oportunidade no SBT de se apresentar para um mercado com maior visibilidade.

Reprodução/instagram

Luiz Alano em transmissão no Maracanã

"Outra barreira foi chegar no mercado do Rio e São Paulo. Tem muita gente boa espalhada pelos cantos do Brasil que não recebem uma oportunidade. Eu não esperava receber essa chance e, quando tive o conhecimento de que seria o primeiro negro, confesso que pesou. Mas depois que administrei o peso da informação foi só alegria diante de tantas manifestações positivas vindas de pessoas que demonstraram um carinho muito grande", destaca.

Em busca de uma nova chance

O SBT conta apenas com Téo José nas narrações dos jogos da fase final do torneio continental. Não há mais partidas transmitidas simultaneamente. No entanto, existe uma boa chance de Alano, que ganhou cachê por cada duelo em que trabalhou, voltar a ser chamado em 2021. 

O profissional também narra partidas no serviço de streaming DAZN e no OneFootball, aplicativo que exibe jogos do Campeonato Alemão e Francês gratuitamente, mas também sem contrato fixo em ambas as plataformas. 

"Agora eu estou à procura de oportunidade. Não tenho nada fixo. Fiz um belíssimo trabalho no SBT, mas não tenho contrato com ninguém. Tenho feito jogos sazonais no DAZN e estou na luta, no mercado, em busca de novas chances. Talvez, pelo que eu já fiz, pela história, meu nome seja mais conhecido hoje, mas estou na mesma pegada dos que buscam oportunidades", salienta.

Enquanto a nova chance no SBT não vem, Alano resolveu empreender e abriu uma barbearia em Tubarão. O catarinense é sócio da Alano’s Barbearia junto com um de seus três filhos, Otávio, de 21 anos, que é barbeiro profissional. 

"Ele corta desde os 16 anos. Proporcionamos a ele o sonho, e passou a ser o negócio familiar. Até porque o jornalismo esportivo está muito instável e não sei o dia de amanhã", explica.

Veja a publicação da barbearia no Instagram:


Leia também

Web Stories

+
Traição de Pyong Lee e treta de Nadja Pessoa: Ilha Record promete estreia acaloradaFim de casamento e cirurgia perigosa: Como estão os vencedores do Power Couple BrasilLustre de cristal e piso de mármore: Conheça o Carioca Palace, hotel de Pega PegaDe Luísa Sonza a Ana Hickmann: Veja as mansões de dez famosos brasileirosLonge dos holofotes: Veja por onde andam cinco atores de Hilda Furacão

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Qual reality show você vai acompanhar após o fim do No Limite e Power Couple?