Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

SEM ACORDO

Em crise, Globo rescinde contrato com Conmebol e deixa de exibir a Libertadores

REPRODUÇÃO/FLAMENGO

Imagem do Flamengo comemorando a conquista da Libertadores em 2019

Flamengo ergueu a taça da Libertadores em 2019; Globo rescindiu o contrato do torneio com a Conmebol

RICARDO MAGATTI

Publicado em 6/8/2020 - 21h32
Atualizado em 7/8/2020 - 5h35

Em crise financeira e sem conseguir reduzir os valores pagos à Conmebol para exibir as partidas da Copa Libertadores da América 2020, a Globo rescindiu o contrato com a entidade sul-americana e abriu mão da competição. Nesta quinta-feira (6), a emissora afirmou em nota que, diante da nova realidade econômica provocada pela pandemia do novo coronavírus, ficou inviável manter os pagamentos. 

Ao Notícias da TV, a Globo reiterou que tentou renegociar com a Conmebol uma redução no valor pago para exibir as partidas da Libertadores na TV aberta e no Sportv, mas não teve sucesso. 

"Nesse contexto, e tendo em vista a suspensão daquela competição por vários meses, a empresa tentou renegociar com a Conmebol o contrato da Libertadores, válido até 2022, mas infelizmente não houve acordo", disse a Globo.

A crise econômica provocada pela pandemia de Covid-19 não foi a única razão de a Globo interromper o acordo. A desvalorização do real frente ao dólar também contribuiu muito, uma vez que o contrato foi assinado quando a moeda americana valia menos de R$ 4. Hoje, o dólar é cotado em R$ 5,33. Logo, houve um salto considerável no valor do acordo.

"Grandes players mundiais têm sido obrigados a renegociar seus acordos sobre eventos esportivos em razão da crise econômica provocada pela Covid-19, que, no Brasil, ainda é acentuada pela desvalorização cambial, que multiplica o valor dos contratos em dólar", pontuou a emissora.

A Globo também ressaltou que havia no acordo uma cláusula que permitia a rescisão em caso de suspensão da Libertadores por um período longo, motivado por "força maior". A competição está paralisada desde o início de março e só será reiniciada no dia 15 de setembro.

Leia, na íntegra, a nota da Globo enviada à reportagem:

"Diante do cenário extremamente desafiador provocado pela crise econômica e potencializado pela pandemia de Covid-19, a Globo vem fazendo uma revisão completa de seu portfólio de direitos.

Nesse contexto, e tendo em vista a suspensão daquela competição por vários meses, a empresa tentou renegociar com a Conmebol o contrato da Libertadores, válido até 2022, mas infelizmente não houve acordo. Assim, não restou alternativa à Globo a não ser rescindir o contrato.

Grandes players mundiais têm sido obrigados a renegociar seus acordos sobre eventos esportivos em razão da crise econômica provocada pela Covid-19, que, no Brasil, ainda é acentuada pela desvalorização cambial, que multiplica o valor dos contratos em dólar. Como principal competição de clubes das Américas, a Libertadores continua sendo importante para a Globo.

No entanto, para que sua transmissão seja viável e satisfatória para todas as partes envolvidas, ela precisa se adequar à nova realidade mundial dos direitos esportivos e à situação econômica vivida pelo país. Por fim, é importante esclarecer que havia no contrato cláusula específica de rescisão em caso de suspensão da competição por períodos prolongados, por motivo de força maior."

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Quem deve ser a nova Juma Marruá?