Bruna Drews

Repórter que denunciou Datena sofre ataques machistas e faz desabafo

Divulgação/Band

A repórter Bruna Drews, que trabalhou com José Luiz Datena e o denunciou por assédio sexual - Divulgação/Band

A repórter Bruna Drews, que trabalhou com José Luiz Datena e o denunciou por assédio sexual

REDAÇÃO - Publicado em 21/01/2019, às 10h47

A repórter Bruna Drews, que denunciou José Luiz Datena por assédio sexual, tem sofrido com muitas críticas e comentários machistas desde que deu depoimento sobre seu caso ao Notícias da TV. Em seu perfil no Instagram, Bruna fez um desabafo e se defendeu dizendo que não espera nenhuma recompensa material do processo que irá mover contra o apresentador.

Bruna, que fechou seu Instagram para o público geral após a grande repercussão de sua história, postou nesta segunda (21) um print de uma reportagem em que conta que não quer receber nem R$ 1 de Datena. 

Na legenda da foto, ela desabafou: "Esta é a pura verdade! Como ex-repórter criminal, sei que infelizmente processos por assédio sexual acabam no máximo em pagamentos de cestas básicas para o Estado! Nunca pedi nada e nunca fiz chantagem com o apresentador!".

"Não fui eu quem quebrei o segredo de Justiça, e sim ele. Soube pelos meus advogados que ele teve todo acesso ao meu processo trabalhista, que segue também em segredo de Justiça. Apenas por isso decidi falar. Obviamente muitas testemunhas que estavam no bar (amigos pessoais e funcionários de Datena) não vão contar a verdade. Mas tenho certeza que ela será esclarecida pela Justiça!", escreveu Bruna.

Ela afirmou que essa foi sua última postagem sobre o assunto e terminou seu texto com uma frase de Simone de Beauvoir (1908-1986), escritora francesa que é referência do pensamento feminista: "Na sociedade machista o homem é definido como um ser humano, a mulher como fêmea".

Nos comentários dos posts que fez nos últimos dias, Bruna tem recebido muitas mensagens de apoio, mas também muitas críticas por sua atitude. Muitos seguidores a questionam por ter demorado a denunciar Datena e dizem não acreditar em seu depoimento.

"Continuo achando coisa errada nesta história! Quando a Claudia Leitte fez aquela palhaçada com o gênio Silvio Santos, você correu aqui para postar coisas sobre o assunto, descendo a lenha no Silvio. Que bom que você tomou a decisão de abandonar o jornalismo. Pois sabe que pra você tudo acabou. Bem estranha! Bem estranha mesmo essa história de Datena dar em cima de homossexual e você aguardar meses para desabafar", disse um seguidor no Instagram que se apresenta como F.J.

"Sem feminismo barato, por gentileza. O Datena é um fanfarrão, todos sabem disso, e quando enche a cara de cachaça fica insuportável, o que já é sem a 'marvada'. O que não entendo é que, enquanto você era a queridinha dele e aceitou subir na carreira graças a ele, ficou caladinha. Tem algo errado nesse negócio. Você não inspira confiança. Posso estar errado, mas quer ganhar em cima do gordo nojento", comentou o seguidor Cássio Maluf.

Há ainda quem diga que Bruna perdeu o respeito com o público após contar seu caso na mídia. "Enquanto estava empregada soltava sorrisinhos em todo elogio, por que só agora processar? Cadê a Elizangela Carreira [repórter da Band] para segurar sua mão nessa? Tá empregada ainda, né? Então. Não generalize pelo erro de um", escreveu o seguidor chamado de Disinfa.

Entenda o caso
Bruna, de 35 anos, protocolou denúncia no Ministério Público de São Paulo contra Josá Luiz Datena, de 61, a quem acusa de ter cometido assédio sexual. Os dois trabalharam juntos na Band durante quatro anos, no Brasil Urgente e no Agora É com Datena.

A repórter afirma que o apresentador lhe chamou de "gostosa", disse que era um desperdício ela namorar outra mulher e que já havia se masturbado pensando nela várias vezes. 

A "cantada" teria acontecido em 7 de junho do ano passado, durante comemoração do fim das gravações do quadro A Fuga, do extinto Agora É com Datena, em um bar na região central de São Paulo. Bruna diz que só decidiu processar Datena agora porque, após o suposto assédio, teve uma grave crise de depressão e pânico.

Em licença médica desde julho, Bruna também está movendo ação trabalhista contra a Band, à qual acusa de ter sido conivente com Datena. Ela sempre recebeu "cantadas" de Datena no ar e tem crises de depressão desde 2017, mas se manteve no emprego porque precisava pagar contas suas e de seus pais. O momento do assédio, no entanto, foi definitivo para seu afastamento.

"Depois do assédio, caí totalmente. Eu pensei: Caramba, estou trabalhando com um cara que não me vê como profissional, mas como um pedaço de carne", contou ao Notícias da TV. Traumatizada com a situação, Bruna diz que não quer mais trabalhar com jornalismo.

Datena negou todas as acusações. "Isso não é verdade, é falso. Eu disse para ela que ela era uma pessoa bonita. Dizia no ar, pra todo o Brasil ouvir, [que é] bonita e competente. Ela nunca reclamou, só me agradeceu por tratá-la bem", declarou.

"Um dia, durante as gravações do quadro A Fuga, ela estava muito magra, passou mal e eu pedi para que ela fosse atendida. Na comemoração, repeti a ela que ela era muito bonita e que não precisava emagrecer, porque ela já era competente. Tirando isso, todo o resto é mentira, calúnia e delírio", concluiu o apresentador, que vai processar a repórter por calúnia.

A Band não se manifestou, alegando que o processo trabalhista movido por Bruna corre em segredo de Justiça.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

O que falta para Amor de Mãe conquistar mais audiência?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook