Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

Veja o vídeo

Repórter negro da CNN é preso ao vivo durante protestos nos EUA

Reprodução/CNN

Dois policiais brancos prendem os braços do repórter negro Omar Jimenez no meio da rua da cidade de Minnneapolis

O repórter Omar Jimenez, da CNN americana, no exato instante em que foi preso ao vivo nesta sexta (29)

REDAÇÃO

Publicado em 29/5/2020 - 13h56

Às 5h da manhã desta sexta (29), no horário de Minneapolis, Estado de Minnesota, o repórter negro Omar Jimenez, da CNN americana, foi preso ao vivo. Ele estava fazendo a cobertura de protestos na cidade contra a violência policial, que vitimou George Floyd, um homem negro morto asfixiado enquanto estava deitado no chão, após ser enquadrado por um policial branco. Uma hora e meia depois, Jimenez foi solto.

O correspondente local do canal de notícias entrou no ar novamente para explicar o que tinha acontecido. Segundo ele, houve uma confusão sobre o local em que o repórter deveria estar naquele instante, em uma rua do centro de Minneapolis. Mesmo se identificando como imprensa, Jimenez foi detido. O ato aconteceu segundos após um manifestante ser pego pela polícia, ataque que a CNN flagrou.

No momento da prisão, Jimenez se mostrou calmo. Ele chegou a perguntar por qual motivo estava sendo detido, mas os agentes não lhe contaram, talvez cientes de que a câmera estava ligada e registrando tudo. O repórter foi levado para trás de uma corrente de policiais e, depois, para a delegacia. Jimenez explicou o que transcorreu depois disso (veja no vídeo abaixo, em inglês).

"Todos foram muito cordiais durante o processo", Jimenez fez questão de esclarecer. O policial que prendeu o jornalista apenas disse que estava cumprindo ordens. "Não houve animosidades, ninguém foi violento comigo", completou.

O jornalista sentiu que os policiais estavam desorientados, no sentido de não saber o que fazer em uma situação tão caótica, com a cidade em chamas e despedaçada. Era como se os agentes da lei estivessem no limite.

Entre a prisão e a soltura, a CNN se posicionou contra o que aconteceu com Jimenez, "uma clara violação de direitos constitucionais", disse o canal em nota, ressaltando que ele e equipe se identificaram como imprensa. O governador de Minnessota, Tim Waltz, interferiu no caso e disse à CNN que a prisão foi "inaceitável", pedindo desculpas pelo ocorrido.

Um complicador dessa história veio pelo relato de outro repórter da CNN, branco. Josh Campbell, que também estava nas ruas do centro de Minneapolis cobrindo as manifestações, contou: "Minha experiência foi completamente oposta à de Omar". Campbell falou que também foi abordado pela polícia. "Eu expliquei quem eu era, o que estava fazendo e eles disseram: 'Ok, você tem a permissão de ficar nessa área.'"

Veja abaixo, em inglês, o momento em que Omar Jimenez foi preso, ao vivo:

TUDO SOBRE

CNN

Leia também

Web Stories

+
Vômito, narrador ridículo e ‘xerecada’: Cinco momentos engraçados das OlimpíadasBárbara, Kelvin e Medina: Atletas brasileiros se envolvem em tretas nas OlimpíadasAna ou Manuela? Saiba quem fica com Rodrigo no final de A Vida da GenteComo Rayssa Leal e Douglas Souza: Cinco atletas das Olimpíadas que você deve seguirTraição de Pyong Lee e treta de Nadja Pessoa: Ilha Record promete estreia acalorada

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Qual a melhor cobertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio?