Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

Anos Rebeldes do RecNov

Record corre para exibir série com black blocs antes das eleições

Marcelo Camargo/Agência Brasil

Manifestantes black blocs em protesto na avenida Paulista, em São Paulo, em 7 de setembro de 2013 - Marcelo Camargo/Agência Brasil

Manifestantes black blocs em protesto na avenida Paulista, em São Paulo, em 7 de setembro de 2013

DANIEL CASTRO

Publicado em 9/3/2014 - 19h47
Atualizado em 10/3/2014 - 6h50

A Record decidiu acelerar a produção da série Plano Alto, de Marcílio Moraes. Corre para que a ficção sobre o universo político brasileiro, retratando "três gerações de contestadores", inclusive os black blocs, seja exibida durante a campanha eleitoral deste ano. 

A ideia da Record é causar uma associação entre a série e o momento político nacional, fazer algum barulho. O sonho de consumo da emissora é repetir o que a Globo conseguiu em 1992, ao exibir a minissérie Anos Rebeldes ao mesmo tempo em que os cara-pintadas iam às ruas pedir a renúncia do presidente Fernando Collor de Mello. "É um negócio quente, vai levantar polêmica. A Record precisa disso", diz Moraes sobre os 15 episódios que acabou de escrever. 

Moraes ainda não dá muitos detalhes da obra. Diz apenas que a série terá "governadores, senadores, deputados". "Eu falo do universo político, sem partidarizar. Falo do poder", diz. A "neutralidade" partidária se explica: a Record pertence ao bispo Edir Macedo, da Igreja Universal do Reino de Deus, que é ligada ao PRB (Partido Republicano Brasileiro), da base de sustentação do governo federal.

A novidade será a incorporação de personagens recentes da política que surgiu nas ruas em 2013. "Tem personagem black bloc, protestador", avisa Moraes. Black blocs são movimentos de matriz anarquista que se dissipam após a conquista de suas reivindicações. Seus membros usam roupas pretas e máscaras. Nas recentes manifestações populares no Brasil, foram associados a atos de vandalismo.

Para viabilizar Plano Alto, a Record está negociando parceria com produtoras independentes e uso de recursos de incentivos fiscais.

LEIA TAMBÉM:

Em Família: Virgílio dará surra em Laerte e ameaçará com espora

Para salvar noticiário, SBT apela ao merchandising no jornalismo

Jogo de sedução entre lésbicas de novela desperta fantasias sexuais

Médica e paciente, Bianca Rinaldi e Reynaldo Gianecchini terão romance

Saiba como calar a boca do Galvão Bueno nos jogos da Copa

Em Família: Shirley insinua que Luiza é filha de Laerte e detona crise

Lívia Andrade vira a Sabrina Sato do SBT (e anda pelada em casa)

Atração da Globo trata mulheres como 'burras', dizem feministas

Paris Hilton esnoba Caio Castro e Gagliasso em 'eleição' de galãs

Lobão se irrita com CQC, xinga repórter e ameaça processar a Band

Record define o nome do programa de Sabrina Sato. Saiba qual é

Em Família: Juliana ameaça vender apartamento para comprar Bia


► Curta o Notícias da TV no Facebook e fique por dentro de tudo na televisão

Web Stories

+
A Fazenda 13: Sem barracos, Liziane frustra público e é eliminada; veja trajetóriaComo Lázaro Ramos e Taís Araujo: 7 casais formados nos bastidores da GloboSex Education vai ter 4ª temporada? Veja cinco curiosidades sobre a sérieA Fazenda 13: Surto na baia e barraco com ofensas marcam primeira semana do realityQuem é Alanis Guillen? Conheça a Juma Marruá do remake de Pantanal

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Além de Pantanal, qual novela antiga merecia um remake?