Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

MAIS PEGAÇÃO

Prime Video renova Soltos em Floripa, reality quase pornô que virou caso de Justiça

REPRODUÇÃO/PRIME VÍDEO

Reprodução de imagem de Beatriz Garcia e Luan Cavati aos beijos no Soltos em Floripa

Beatriz Garcia e Luan Cavati se beijam no Soltos em Floripa; reality terá segunda temporada

REDAÇÃO

Publicado em 17/6/2020 - 17h38

O Prime Video anunciou a renovação do Soltos em Floripa para a sua segunda temporada nesta quarta-feira (17). Os novos episódios ainda não têm previsão de estreia. O primeiro ano do reality de pegação virou caso de Justiça, após a exibição de cenas de sexo explícito entre os participantes. O conteúdo do programa foi parar, ilegalmente, até em sites pornográficos.

Segundo o streaming, o novo ano contará com a presença de participantes do atual elenco, além de novos integrantes. Os comentários realizados pelos famosos sobre a pegação dos jovens também estarão presentes na segunda temporada.

No entanto, o Prime Video não confirmou a volta da cantora Pablo Vittar, do ator Felipe Titto, da funkeira MC Carol, do sertanejo Mariano (da dupla com Munhoz) e dos influenciadores John Drops e Bianca Andrade, a Boca Rosa, para os reacts.

Anunciado em dezembro de 2019, o reality era considerado uma versão genérica do De Férias Com o Ex, da MTV. No entanto, desde a estreia, o formato virou alvo de polêmicas por causa do elenco e das cenas de sexo exibidas nos episódios.

A primeira controvérsia envolveu a presença de Boca Rosa no time de comentaristas. A participante do Big Brother Brasil 20 omitiu da Globo sua presença no programa. Na época do lançamento, a Amazon aproveitou a sua projeção no BBB e a transformou na estrela da campanha publicitária do Soltos.

Com a entrada dos episódios no catálogo do streaming, o público questionou as cenas de sexo sem tarjas protagonizadas pelos jovens anônimos do elenco. O conteúdo passou a circular ilegalmente em grupos de WhatsApp e sites de conteúdo adulto, como o PornHub e o XVideos, como pequenos filmes pornográficos.

A exibição dessas cenas virou caso de Justiça, após uma figurante do reality afirmar ter sido enganada pela produção do programa e receber ataques de ódio na internet. Uma ação contra o serviço de streaming foi protocolada no Tribunal de Justiça de Santa Catarina pedindo a retirada dos trechos com a presença de duas figurantes.

A juíza Ana Luisa Schmidt concedeu uma liminar favorável às mulheres e o Prime Vídeo reeditou os episódios 4 e 5 do reality, publicados novamente no streaming após os ajustes.

Confira o trailer da primeira temporada do Soltos em Floripa:

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Você gostou do final de Amor de Mãe?