Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

RAPAZ SEGUE DETIDO

Mãe de invasor da Globo revela que filho teve miragem de Renata Vasconcellos

REPRODUÇÃO/CNN BRASIL

Á direita, Thomas Rosa (de boné) segura a repórter Marina Araújo que foi mantida como refém em prédio da Globo

A repórter Marina Araújo foi feita refém por Thomas Rosa (de boné) até o invasor ver Renata Vasconcellos

REDAÇÃO

Publicado em 11/6/2020 - 17h51
Atualizado em 11/6/2020 - 18h29

A mãe de Thomas Rosa, rapaz que invadiu a Globo e fez a repórter Marina Araújo refém, afirmou que o filho teve uma miragem com a apresentadora do Jornal Nacional, Renata Vasconcellos, antes de cometer o crime. Telma Francisco Rosa disse que ele tem problemas neurológicos devido um acidente de trânsito que sofreu no ano passado. Segundo a costureira, de lá para cá, o rapaz apresenta como sequela alucinações.

Ao Notícias da TV, a Polícia Civil do Rio de Janeiro informou que Thomas foi detido pelo crime de cárcere privado, e a Secretaria de Administração Penitenciária informou que o invasor deu entrada no sistema prisional nesta quinta-feira.

"Ele [Thomas] chegou a falar que, nesta semana, Renata esteve no hotel onde ele trabalha aqui no Espírito Santo e perguntou dele. Mas isso é imaginação da cabeça dele, até disse que esteve com o Papa Francisco recentemente", contou Telma em entrevista ao jornal A Gazeta.

A mãe de Thomas disse que descobriu o paradeiro do filho na madrugada desta quinta-feira (11), após ver as imagens do sequestro ocorrido quarta-feira (10) nas redes sociais.

"Quando acordei [ontem], meu filho não estava em casa. As horas foram passando... Liguei à tarde para ele e não atendia. Comecei a ficar preocupada. [Desde então] Estou sem comer, sem dormir, sem acreditar que tudo isso aconteceu", explicou.

Ela também contou que não sabia que o filho iria viajar de Vitória (ES), onde eles moram, até o Rio de Janeiro (RJ). Thomas é o único filho da costureira e, na entrevista, a mãe reforçou a preocupação com a situação dele na capital fluminense, pois não possui condições financeiras para ir ao Estado para contratar um advogado. 

"Liguei para delegacias do Rio de Janeiro até descobrir para onde ele tinha sido levado, uma delegacia de Copacabana. Mas depois foi levado para a Casa de Custódia de Benfica. Meu filho sempre foi um excelente profissional, é uma pessoa carinhosa, prestativa e ajuda qualquer pessoa no nosso bairro. Eu preciso saber o que fazer para tirar ele da cadeia, preciso resgatá-lo", desabafou a senhora.

Telma procurou suporte jurídico na Defensoria Pública e no Tribunal de Justiça do Espírito Santo. Porém, ela diz que não foi atendida devido o feriado de Corpus Christi. 

Entenda o caso

Na tarde de quarta-feira (10), um homem armado com uma faca invadiu o prédio da Globo no Jardim Botânico, Rio de Janeiro, onde fica a central de Jornalismo da emissora. Ele imobilizou a jornalista Marina Araújo e a fez sua refém. 

Ao Notícias da TV, a Globo informou que o caso já havia sido solucionado por volta das 16h20 e que a funcionária estava bem. A intenção do invasor era falar com a jornalista Renata Vasconcellos, que completava 48 anos naquele dia.

"Um homem invadiu a sede da TV Globo, no Jardim Botânico, portando uma faca. Ele fez a repórter Marina Araújo refém. A segurança da Globo rapidamente agiu, isolou o local e chamou a PM [Polícia Militar]. O comandante do 23° Batalhão da corporação, coronel Heitor Henrique Pereira, compareceu rapidamente à emissora e conduziu a negociação", disse a equipe de Comunicação da Globo.

A emissora afirmou que Marina permaneceu imobilizada pelo invasor durante alguns minutos e que a jornalista não sofreu nenhum tipo de ferimento nem tampouco se machucou no período em que ficou como refém. O rapaz somente a liberou quando a apresentadora do Jornal Nacional surgiu no local. Ela compareceu à cena do crime por orientação do comandante Heitor Pereira, que conduziu a operação.

Durante o Jornal Nacional de ontem, William Bonner citou o caso e classificou como um "susto enorme". Em seguida, Renata, bastante comedida, endossou a fala do jornalista. "É isso. vida que segue. desejo a todos paz", concluiu.

Leia na íntegra a nota enviada pela Comunicação da Globo sobre o ocorrido em sua sede no Rio de Janeiro:

"Na tarde desta quarta-feira, um homem invadiu a sede da TV Globo, no Jardim Botânico, portando uma faca. Ele fez a repórter Marina Araújo refém. A segurança da Globo rapidamente agiu, isolou o local e chamou a PM. O comandante do 23° batalhão da corporação, coronel Heitor Henrique Pereira, compareceu rapidamente à emissora e conduziu a negociação."

"O homem, que ameaçava a jornalista, liberou a repórter após alguns minutos. Marina e todos os funcionários que estavam no local não se feriram e passam bem. A Globo repudia com veemência todo tipo de violência. Foi obra de alguém com distúrbios mentais, sem nenhuma conotação política. Um homem que exigia ver a jornalista Renata Vasconcellos."

"Seguindo instruções do comandante Heitor, Renata compareceu ao local onde estava Marina e o invasor. Tão logo ele a viu, largou a faca e libertou Marina. Foi preso imediatamente. A TV Globo agradece à PM, ao coronel Heitor e a todos os policiais, cuja condução foi exemplar."

"Marina se comportou com coragem, serenidade e firmeza, sendo fundamental para o desfecho da situação. Renata foi corajosa, desprendida, solidária e absolutamente imprescindível para que tudo acabasse bem. As duas profissionais estão bem. E foram recebidas pelos colegas com carinho e emoção."

Leia também

Enquete

Você gostou de Tadeu Schmidt no comando do BBB22?

Web Stories

+
Final de Malhação na Globo tem sequestro, incêndio e final feliz; saiba tudoPor que Ludmilla e Anitta brigaram? Entenda a treta que respingou no BBB 22BBB22: Cinco vezes em que Naiara Azevedo atraiu o ranço do público na primeira semanaFaustão na Band abala concorrentes com ibope histórico e equipe provoca RecordAntes da estreia, BBB22 já rendeu treta entre famosos, tentativa de redenção e mais

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas