Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

INDENIZAÇÃO

Globo é condenada a pagar R$ 300 mil para filho de cinegrafista morto no voo da Chape

REPRODUÇÃO/FACEBOOK

Ari Júnior em 2015, no Nepal, com uma camisa cinza e boné, além de segurar uma câmera durante uma reportagem da Globo

Ari Júnior (1968-2016), cinegrafista da Globo que morreu no acidente do voo da Chapecoense em 2016

GABRIEL VAQUER e LI LACERDA

vaquer@noticiasdatv.com

Publicado em 1/9/2021 - 7h00

A Globo foi condenada a pagar uma indenização de R$ 300 mil para Alisson Carlos Araújo Silva, filho do cinegrafista Ari Júnior (1968-2016), uma das 71 vítimas da queda do avião que matou grande parte dos jogadores da Chapecoense, em 28 de novembro de 2016. Ari trabalhou na emissora durante quase 20 anos e era um dos contratados que estavam no voo, juntamente com os repórteres Guilherme Marques e Laion Espínola e o produtor Guilherme van der Laars.

O filho do cinegrafista entrou com o processo na Justiça porque a emissora não cumpriu um acordo de indenização, celebrado entre os herdeiros do profissional com a Globo em maio de 2017. Na ocasião do pagamento para Alisson Araújo, a empresa havia descontado exatos R$ 196,124,53 relativos ao Imposto de Renda --algo comum em grandes quantias.

O Notícias da TV teve acesso aos autos. O filho de Ari alegou, por meio de seus advogados Matheus de Oliveira Costa e Marcelo Pacheco de Brito Júnior, que em indenizações do tipo não caberiam descontos por pagamento de impostos. A própria Globo é que deveria realizar o pagamento tributário, sem abatê-lo no valor pago.

O caso foi julgado pela 28ª Vara Cível do Rio de Janeiro. Na sentença, o juiz Erick Scarpin Brandão concordou com o entendimento do filho de Ari Júnior. Para o magistrado, foi quebrada o princípio de boa-fé por parte da Globo, que não pagou o que tinha sido combinado integralmente.

"O Instrumento Particular de Transação estabelece o valor a ser pago na Cláusula 3.1, sem qualquer menção a eventual incidência de tributo, o que ensejaria a redução do montante a ser recebido, levando à crença do beneficiário de que receberia, na integralidade, a quantia expressa no contrato", afirmou a sentença.

O juiz condenou a Globo a pagar um valor de indenização atualizado, de R$ 302.075,42, além de juros de 1% ao mês desde que o processo foi interpelado judicialmente, em 2020. A Globo também pagará as custas processuais e os honorários dos advogados de Alisson Araújo.

Procurada pela coluna, a Globo afirmou que não comenta casos sub judice.

Quem foi Ari Júnior

Ari Júnior começou a carreira como porteiro na TV Serra Dourada, afiliada do SBT em Goiânia --onde, posteriormente, também foi cinegrafista. Na década de 1990, trabalhou na TV Anhanguera, retransmissora da Globo na capital de Goiás. Em 1997, Ari foi para a emissora em São Paulo e, em 2012, foi convidado a trabalhar na Globo Rio.

Quando morreu no acidente da Chapecoense, em Medellín, na Colômbia, ele integrava a equipe do programa Planeta Extremo (2015-2016). Em abril de 2015, ele fazia parte da comitiva que estava no Nepal quando houve um terremoto que matou milhares de pessoas. As imagens feitas pelo cinegrafista goiano rodaram o mundo. Ari Júnior ainda cobriu quatro Copas do Mundo e dois Jogos Olímpicos em sua carreira.

TUDO SOBRE

Globo

Justiça


Leia também

Enquete

Você gostou da escolha de Tadeu Schmidt para o BBB22?

Web Stories

+
Além de José de Abreu: Sete atores brasileiros que se aventuraram na políticaApós derrota em eleição, Victor Pecoraro perde mais uma votação e deixa A Fazenda 13Deixaram saudade: Conheça cinco atores de O Clone que já morreramEsqueceram de Mim ganha novo filme no Disney+; veja como está o elenco originalTadeu Schmidt no BBB22: Conheça a carreira do apresentador na Globo

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas