NO ENCONTRO

Fátima Bernardes associa fala de Bolsonaro a assédio sexual: 'Muito triste'

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

A apresentadora Fátima Bernardes no palco do Encontro desta quarta-feira (19), na Globo

No Encontro desta quarta (19), Fátima Bernardes criticou fala machista do presidente Jair Bolsonaro

REDAÇÃO - Publicado em 19/02/2020, às 11h33

Fátima Bernardes associou uma fala de Jair Bolsonaro a respeito da jornalista da  Patrícia Campos Mello, da Folha de S.Paulo, ao assédio sexual sofrido por uma passageira de um aplicativo de motoristas particulares no Rio Grande do Sul. No Encontro desta quarta-feira (19), a apresentadora declarou que uma fala do presidente do Brasil serve como referência para todo o país. "Muito triste ver isso acontecendo", disse a titular.

No quadro Nuvem de Palavras, em que a apresentadora mostra quais são os assuntos mais comentados nas redes sociais, Fátima falou sobre o destaque do termo "Bolsonaro" e exibiu o vídeo com a fala do presidente. 

Em um coletiva de imprensa com jornalistas em Brasília, Bolsonaro fez comentários de conotação sexual a respeito de Patrícia, acusada por um depoente da CPMI das Fake News, ocorrida na semana passada, de ter se insinuado sexualmente em troca de informações privilegiadas.

"No depoimento do [Hans] River [do Rio Nascimento] ficou claro que ele foi assediado porque ela queria um furo, ela queria dá o furo a qualquer preço contra mim", disse o presidente, arrancando risadas de alguns profissionais presentes no local. 

Após a exibição do trecho, Fátima lamentou o caso. "É muito triste ver o presidente do nosso país com uma declaração como essa, tentando fazer um ataque sexual a uma jornalista respeitada. Sendo que no nosso país nós, mulheres, vivemos lutando por espaço, por respeito e aí é muito frustrante", começou a titular do Encontro.

"Deixa todas nós indignadas ver um ataque desse partindo de uma pessoa que tem o posto e o cargo mais importante do país, e que esquece que ele governa para todas as mulheres e para todos os homens. E que o comportamento dele serve de referência para o comportamento de todo mundo nesse país", completou Fátima. 

Na sequência, a funcionária da Globo fez a ligação entre a fala de Bolsonaro e o motorista da empresa Uber que assediou uma adolescente no último fim de semana. 

"É por isso que a gente vê um comportamento desse vindo do presidente e logo depois a gente é obrigado a dar notícia de uma adolescente de 17 anos que denuncia um motorista por assédio sexual em Porto Alegre, e ele diz que a culpa é da menina", declarou Fátima. 

Após exibir os vídeos do caso de assédio, a apresentadora disse que ouvir as declarações machistas do presidente ou de outros homens não impedirá que a luta por respeito continue e foi aplaudida pela plateia do Encontro. 

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Na casa de que famoso você passaria a quarentena?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook