Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

MÔNICA AREAL

Ex-Malhação vira delegada e aparece no JN em caso de violência doméstica

Reprodução/Globo

Mônica Areal sentada na mesa da recepcionista Tininha

Mônica Areal na pele da recepcionista Tininha da primeira temporada de Malhação (1995-1996)

REDAÇÃO

Publicado em 23/7/2020 - 8h02

O Jornal Nacional do dia 9 de julho entrevistou a delegada Mônica Areal, que ficou à frente do caso de uma mulher que era mantida em cárcere privado pelo marido durante oito anos, no Rio de Janeiro. Para quem não se lembra, a policial que libertou a vítima é conhecida por parte do público que acompanhou a primeira temporada de Malhação, entre 1995 e 1996. Antes atriz, Mônica interpretou a recepcionista Tininha na novela teen, que voltará ao ar em setembro no canal Viva, da Globo

Durante a reportagem do crime, a delegada detalhou como agiu durante a operação. "Ele [o marido] não queria abrir a porta num primeiro momento, mas acabou abrindo, não usamos a força. E ela [a vítima], estava encolhida em um canto", relatou.

Mônica Areal no Jornal Nacional, em julho de 2020

Em entrevista à colunista Patrícia Kogut, do jornal O Globo, Mônica contou que ainda era atriz quando se deu conta de que deveria seguir na nova profissão.

"Assistindo ao Fantástico com os meus pais, passou a reportagem sobre um garoto que havia sido libertado pela polícia após um sequestro. Ao ver aquilo, me dei conta de que era o que eu queria fazer da minha vida", afirmou.

Logo depois de ser aprovada no concurso da OAB, ela prestou concurso e entrou para a polícia aos 38 anos e se sente preparada para lidar com os riscos da profissão.

"Se eu for vítima de um assalto, por exemplo, quase que obrigatoriamente eu vou precisar reagir. Mas sou muito tranquila quanto a isso. Sempre gostei mais dessa parte de campo, de estar numa operação. Já passei por alguns sustos, como, por exemplo, ser recebida a tiros de fuzis por bandidos", revelou.

Saudosa, Mônica pretende rever sua atuação na reprise de Malhação: "Foi uma época muito bacana da minha vida. Devo muito a Silvia Pfeifer, com quem eu contracenava bastante. Ela era muito generosa e isso permitia que eu pudesse crescer na novela. Também me aproximei muito do André Marques, e, de vez em quando, ainda nos falamos", contou

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você espera ver na TV em 2021?