Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

Shark Tank Brasil

Empreendedor supera doença e tenta vender aplicativo de maconha na TV

Divulgação/Canal Sony

O empreendedor João Paulo Costa apresenta seu negócio no episódio desta sexta (5) do Shark Tank Brasil - Divulgação/Canal Sony

O empreendedor João Paulo Costa apresenta seu negócio no episódio desta sexta (5) do Shark Tank Brasil

REDAÇÃO

Publicado em 5/7/2019 - 5h15

O empreendedor João Paulo Costa chega ao Shark Tank Brasil para contar sua história de vida inusitada. Após sofrer com fortes crises de epilepsia e ficar internado, ele conseguiu se recuperar graças à maconha medicinal e decidiu usar o produto como base de seu negócio. No episódio desta sexta-feira (5) do reality show do Canal Sony, ele tenta vender aos "tubarões" um aplicativo para usuários de maconha.

Costa começa sua apresentação contando sua dramática história aos jurados. Ele foi diagnosticado aos 16 anos com epilepsia, doença que afeta células nervosas do cérebro e causa intensas convulsões. Com 26 anos, ficou internado em casa, morando em um quarto com janelas que blindavam som e luz exteriores.

"A cannabis se tornou a partir daí minha vida medicinal, recreativa e profissional", ele afirma. Costa teve a ideia de criar um aplicativo para conectar consumidores e revendedores de maconha, seja para tratamento médico ou uso recreativo.

A ideia é que os usuários consigam encontrar locais para comprar o produto e também pessoas ao redor que queiram companhia para fumar. O empreendedor diz que tem mais de 350 mil usuários no app e 6 mil estabelecimentos registrados.

O problema é que o aplicativo foi todo desenvolvido nos Estados Unidos, onde o empreendedor vive. Lá, a maconha é legalizada em alguns Estados. No Brasil, o uso recreativo é considerado ilegal, e o uso medicinal também não é tão difundido.

Costa oferece 10% de sua empresa por R$ 300 mil, mas os tubarões desconfiam. "No Brasil, isso [a legalização] está muito longe", afirma Caito Maia, e o participante é obrigado a concordar. Ele diz que, por questões de legislação, não pode investir em divulgação pesada ao empreendimento ligado à maconha no Brasil. O foco é nos consumidores norte-americanos e canadenses.

Além de Costa, participam deste episódio uma empresária que criou uma pet shop em que todos os produtos são ecologicamente corretos e sustentáveis, um empreendedor que desenvolveu bolsas que podem ser ligadas na tomada para esquentar marmitas e empresários que têm uma loja de produtos para prática de futebol americano e buscam investimento para crescer no Brasil.

Formato de sucesso em mais de 35 países, o reality show vai ao ar no Canal Sony às sextas-feiras, às 22h.

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?

Muito bom, tem todo o conteúdo que os fãs da Disney amam.
19.71%
O catálogo é bom, mas há falhas e problemas no aplicativo.
8.45%
Não gostei, o conteúdo não me interessou.
17.51%
Não assinei, achei o preço muito alto.
54.33%