Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

MEMÓRIA DA TV

Em 2003, SBT tentou acabar com monopólio da Globo no futebol brasileiro

FOTOS: REPRODUÇÃO/SBT

Imagem de briga entre jogadores do São Paulo e do Corinthians na final do Paulistão de 2003

São Paulo e Corinthians na final do Campeonato Paulista, em 2003, transmitida pelo SBT

THELL DE CASTRO

Publicado em 5/7/2020 - 8h00

De tempos em tempos, alguma emissora ou, mais recentemente, os próprios clubes tentam acabar com o monopólio da Globo em relação aos direitos de transmissão do futebol brasileiro, como acontece agora com o Flamengo no Campeonato Carioca. Em 2003, o público acompanhou a disputa da emissora com o SBT pelo Campeonato Paulista daquele ano, que acabou indo parar na Justiça e, no final das contas, teve exibição compartilhada.

Nos anos 1990, Silvio Santos se animou com o futebol ao obter grande retorno com campeonatos, como a Copa do Brasil --que deu uma das maiores audiências da história do canal-- e a Copa Mercosul.

Em outubro de 2002, a Globo recusou a proposta da Federação Paulista de Futebol (FPF), que queria R$ 12 milhões pelo torneio. A entidade pediu o mesmo valor ao SBT, mas ofereceu dez jogos a mais no pacote, além da exclusividade.

Silvio Santos topou e a sua emissora fez um grande anúncio, dizendo, em comunicado, que "está encerrada, assim, a fase monopolista do futebol brasileiro e da realização de jogos em horários absurdos, conveniente apenas para a rede que tinha o monopólio".

A FPF deu prazo até 27 de dezembro para a Globo decidir o que iria fazer. A emissora enviou um fax nessa data, mas protocolou o original somente em 2 de janeiro de 2003. Dessa forma, a Federação não considerou o fax e deu os direitos ao SBT. Estava formada a guerra, que foi parar na Justiça.

Luciano do Valle em transmissão de jogo pelo SBT

O SBT programou a transmissão de quatro partidas semanais, incluindo duas nas tardes de sábado e uma na manhã de domingo, já que não queria mexer com o programa Domingo Legal, apresentado por Gugu Liberato, no período vespertino.

Foram contratados nomes como Dirceu Maravilha, Elia Jr. e o, então, novato Paulo Andrade, que atualmente é titular da ESPN Brasil. O músico Leo Jaime integrava o time de comentaristas do canal na época.

Discussões e intervalo gigante

Na rodada de estreia, a partida entre Santo André e Santos, mesmo sem autorização, teve exibição da Globo. Toda a tensão pré-jogo foi mostrada ao vivo pelo SBT no programa Falando Francamente, com direito a muitas discussões.

Cleber Machado e Casagrande não puderam entrar no estádio e a exibição foi improvisada no estúdio. A partida, inclusive, teve a volta do intervalo atrasada em 17 minutos para que a Globo fosse forçada a deixar a exibição para não prejudicar sua grade, mas sem sucesso.

A partir daí, o Paulista de 2003 ficou marcado por uma chuva de liminares, com adiamento de jogos, transmissões sem aviso prévio, idas e vindas dos direitos entre as emissoras, com a Record indo na carona da Globo, através da parceria que tinham na época, e muito mais.

No final das contas, SBT, Globo e Record continuaram transmitindo o campeonato, mas era o canal de Silvio Santos que dava as cartas sobre horários e afins, o que sempre foi primazia global.

Alterações na grade da Globo

Esse fato garantiu algumas situações inusitadas. A semifinal entre Palmeiras e Corinthians, realizada em 5 de março de 2003, foi marcada para as 21h, prejudicando a grade da Globo. A emissora teve que cortar 10 minutos do Jornal Nacional e 40 minutos de Mulheres Apaixonadas, que estava bombando.

O SBT, numa ação inédita, conseguiu o empréstimo de Luciano do Valle (1947-2014) junto à Band, para que o locutor pudesse transmitir a partida pela emissora de Silvio Santos. A Globo reagiu à altura e, por sua vez, colocou Galvão Bueno. No final, a rede da família Marinho venceu por 39 pontos a 13 pontos no Ibope.

A volta da final, entre São Paulo e Corinthians, também foi num sábado, às 18h. Para mostrá-la, a Globo não exibiu a reprise do último capítulo de Sabor da Paixão e encurtou O Beijo do Vampiro, a novela das sete da época.

No final, ficou por isso mesmo. O SBT ainda tentou comprar os direitos do Campeonato Brasileiro daquele ano, mas desistiu, assim como fez com o Paulista de 2004. A Globo seguiu transmitindo os campeonatos, que mantém até os dias atuais.


THELL DE CASTROé jornalista, editor do site TV História e autor do livro Dicionário da Televisão Brasileira. Siga no Twitter: @thelldecastro


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?