NA ELIANA

Dono de império bilionário, Ratinho revela medo de ser demitido por Silvio Santos

REPRODUÇÃO/SBT

Ratinho em entrevista para o programa Eliana, exibida pelo SBT

Ratinho recebeu o programa Eliana, exibido pelo SBT neste domingo (8), em uma de suas fazendas no Paraná

REDAÇÃO - Publicado em 08/03/2020, às 17h09

Proprietário de um império bilionário, com emissoras de televisão e rádio no Paraná, 13 fazendas espalhadas pelo Brasil e um hotel no aeroporto de Guarulhos, Carlos Massa, o Ratinho, não abre mão de seu trabalho no SBT. De acordo com o apresentador, ele morre de medo de ser demitido por Silvio Santos. A revelação foi feita para Eliana Michaelichen, em programa que foi ao ar neste domingo (8).

"Morro de medo do Silvio Santos me mandar embora, eu já falei isso para ele uma vez", confessou ele. "Mas ele me disse que, por enquanto, não vai me mandar. Então eu estou tranquilo", amenizou o comunicador.

Ratinho recebeu Eliana em uma de suas fazendas de café, no interior do Paraná, e falou sobre o seu trabalho fora das câmeras. Ele contou que tem aproximadamente três mil funcionários, com 200 pessoas atuando apenas na parte administrativa. "Eu tenho equipe boa. Eu sou bom pra fazer, não para administrar. Acho que eu sou bom na venda", opinou ele.

O apresentador e empresário falou que está começando a investir mais no ramo de hotelaria. Ele já é proprietário de um hotel no aeroporto de Guarulhos e disse que está construindo mais dois empreendimentos, um em Brasília e outro na Cidade do México.

Aos 64 anos, Ratinho explicou que todos os negócios que possui hoje foram adquiridos graças ao trabalho como apresentador de TV. "A televisão me deu tudo, depois que eu vim para São Paulo. Eu fui comprando terra e essas terras valorizaram". 

A ascensão na carreira como comunicador aconteceu na década de 1990, quando ele começou a chamar atenção como repórter e apresentador no Paraná, na CNT/Gazeta. Em 1997, foi contratado pela Record em São Paulo. Antes disso, foi rejeitado pela Band.

"O Johnny Saad [presidente do Grupo Bandeirantes] me rejeitou", disse Ratinho, que afirmou só não ter voltado para o Paraná porque Eduardo Lafon (1948-2000), então diretor artístico e de programação da Record, o convidou para trabalhar na emissora.

"Eu fui para Record, fiquei um ano lá. Aí meu programa começou a vencer o SBT, de vez em quando ganhava da Globo. O programa chamava muita a atenção, chamavam de sensacionalista, aí o Silvio Santos me ligou e me levou para trabalhar no SBT", revelou o apresentador.

Ratinho está no SBT desde 1998 e não pensa em sair da emissora ou se aposentar da televisão. "Não saio, eu saio só se me mandarem embora. Se me mandarem embora eu fico lá um ano chorando, até o Silvio Santos me chamar de volta", brincou.

Apesar de ter ficado famoso pelo estilo policialesco, Ratinho mudou o formato de seu programa nos últimos anos e passou a apostar mais no humor. Ele afirmou que não volta a fazer atrações mais apelativas. "Acho que sensacionalismo ficou para a internet".

"Não volto a fazer programa policial em hipótese nenhuma. Hoje a minha vida está mais leve, só faço programa para o povo dar risada", contou.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Qual novela a Globo deve reprisar depois de Novo Mundo?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook