JOGO ABERTO

Cercado de belas mulheres e bebidas, Amaury Jr. revela lado ruim do trabalho

Reprodução/YouTube

Amaury Jr. entrevista a modelo Ellen Jabour em festa que ele cobriu para seu programa na Band - Reprodução/YouTube

Amaury Jr. entrevista a modelo Ellen Jabour em festa que ele cobriu para seu programa na Band

REDAÇÃO - Publicado em 01/03/2019, às 05h49

Rei do colunismo social há mais de 40 anos, Amaury Jr. adora o que faz. Mas ressalta que, apesar de estar sempre cercado de belas mulheres e das melhores bebidas, seu trabalho não é o paraíso que todos imaginam. Pelo contrário. "As pessoas me veem e acham que a vida é fácil. Mas não é, estou ali trabalhando, é muito difícil", conta.

"Eu até brinco: 'Vocês estão falando que invejam meu trabalho porque eu vou prospectar notícias nas grandes festas, só que a hora que eu vou comer a comida já está fria. Só tem uma coisa quente: o champanhe'. Aí a festa é um desastre para nós", continua Amaury, aos risos.

A confissão foi feita durante uma entrevista a Marcelo Bonfá em vídeo publicado no canal Pingue-Pongue com Bonfá, que o jornalista mantém no YouTube.

Na conversa, Amaury também revela que foi um dos primeiros a ficar sabendo sobre a tragédia que envolveu o amigo Ricardo Boechat, morto em um acidente de helicóptero no último dia 11.

"Nós fomos os primeiros a receber a notícia. Porque uma pessoa da nossa equipe estava conversando com a Band ao telefone, e essa pessoa falou: 'Desculpe, vou ter que desligar, o Boechat morreu'. Começamos a ver pela internet se alguém havia publicado, ninguém havia", lembra ele.

"Eu tinha o telefone celular da Veruska, mulher do Boechat, que é minha amiga. Eu liguei, ela atendeu chorando copiosamente. Logo deduzi que ele estava no helicóptero. E aí publicamos [no blog no BOL), como ele teria feito com qualquer amigo dele."

O ícone do colunismo social e o âncora do Jornal da Band eram próximos porque dividiam os maquiadores da emissora. "No momento em que ele fazia a maquiagem pro jornal, eu estava me maquiando também para os meus programas. Então a gente ficava conversando, a maquiagem dura 15 minutos... Às vezes extrapolava esse tempo, a gente ia tomar um café, falava de generalidades, do trabalho."

Amaury Jr. ressalta ainda que ele e Boechat conversavam sobre depressão, um mal do qual os dois sofreram no passado, e revela como lida com a morte. Confira:

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Você está gostando de Amor de Mãe?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook