Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

POESIA QUE TRANSFORMA

Bráulio Bessa busca poesia nos confins do Brasil em documentário da Globo

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

O poeta Bráulio Bessa durante participação no Encontro com microfone na mão, chapéu, olha para cima

O poeta Bráulio Bessa durante participação no Encontro; ele lança agora seu documentário

FERNANDA LOPES

fernanda@noticiasdatv.com

Publicado em 22/12/2021 - 6h40

Bráulio Bessa ficou conhecido ao divulgar seu trabalho como poeta no Encontro com Fátima Bernardes e em suas redes sociais. Por meio de suas obras e reflexões, ele tocou os corações de pessoas e acendeu a chama da poesia nelas também. O artista viajou pelo país para encontrar seus fãs e retratar como a arte existe e resiste nos confins do Brasil. Esses encontros são retratados no documentário Poesia que Transforma, que estreia nesta quarta (22) no Globoplay.

O material é dividido em cinco partes, e cada capítulo tem um tema: raízes, amor, igualdade, fé e recomeço. Com base na ideia central, Bessa encontra pessoas que têm relações com esses assuntos e com a poesia. 

No primeiro episódio, por exemplo, ele vai até uma comunidade ribeirinha no Amazonas para conhecer o trabalho de Alex Alves, professor e poeta que dá aula para descendentes de indígenas, crianças e adultos. Alves conheceu Bessa ao vê-lo no Encontro, se inspirou e passou a criar as próprias rimas e a usá-las para levar cultura e educação à sua comunidade. 

O amigo de Fátima Bernardes também conversa com Quitéria Jales, uma jovem poeta de 12 anos, de Pau dos Ferros, Rio Grande do Norte, que já publicou um livro de poesia e retrata a força da mulher e dos nordestinos. 

"O processo de pesquisa [dos personagens] talvez tenha sido um dos mais emocionantes na construção da série. Foram centenas de histórias até chegar num recorte que representasse o brasileiro de forma poética e sensível. E os temas [escolhidos] são muito presentes em minha obra. A ideia era trazer a essência do que escrevo e do que toca as pessoas", explica o poeta. 

Ao longo das gravações, Bessa viajou por dez Estados do Brasil e foi a regiões totalmente distintas entre si, como Óbidos, no Pará, Jaguaruana, no Ceará, Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, e o pantanal matogrossense. Os personagens do documentário têm de nove a 67 anos. 

"Os depoimentos se completam. Cheguei a dizer que todas as histórias se encaixariam em todos os temas. É impressionante como nos conectamos durante as gravações. Cada história tem um tempero, e eu saboreei tudo", diz Bessa.

As conversas e depoimentos destacam a importância da educação e das relações como alicerces nas vidas das pessoas, e da poesia como forma de deixar tudo mais belo, lúdico e intenso. 

"Gente sempre é surpreendente. Todo mundo tem uma história boa pra contar. Fui muito impactado por todos os personagens. No final das contas, o transformado sou eu. As pessoas vão perceber que nem todo mundo é poeta, mas todo mundo é poesia. Isso é transformador", defende Bráulio Bessa.

As cinco partes do documentário Poesia que Transforma estão disponíveis no Globoplay a partir desta quarta (22). 


Leia também

Enquete

Pantanal perde audiência: novela está chata?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.