Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

MORTE NO NILO

Sem saída, Disney ignora escândalo com Armie Hammer e mantém ator em filme

REPRODUÇÃO/YOUTUBE

Imagem de Armie Hammer em cena de Morte no Nilo

Armie Hammer em cena de Morte no Nilo, novo filme da Disney; empresa ignorou escândalo com ator

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 21/12/2021 - 21h31

Acusado de canibalismo e estupro, Armie Hammer foi mantido pela Disney no elenco de Morte no Nilo, filme que chegará aos cinemas em 10 de fevereiro de 2022. Nesta terça-feira (21), a empresa deu início a campanha de marketing do longa e foi possível acompanhar a permanência do ator no projeto.

Baseado no romance de Agatha Christie (1980-1976), Morte no Nilo retrata as férias do detetive Hércules Poirot (Kenneth Branagh) no Egito, interrompidas devido à busca por um assassino. Esta investigação atrapalha a lua de mel do casal Linnet Ridgeway (Gal Gadot) e Simon Doyle (Hammer).

Filmado no final de 2019, o longa teve a sua estreia adiada por causa da pandemia de Covid-19. Em janeiro de 2021, as acusações contra Hammer foram divulgadas pela imprensa e, desde então, sua carreira segue em ruína. Em junho, o ator se internou em uma clínica de reabilitação para iniciar um tratamento contra abuso de drogas, álcool e sexo.

De acordo com The Hollywood Reporter, a Disney pensou em refilmar o longa com outro ator ou usar computação gráfica para alterar o projeto. No entanto, de acordo com fontes da publicação, seria praticamente impossível reunir novamente o elenco ou editar o material por causa da história.

Além disso, arquivar o filme ou vendê-lo para uma plataforma de streaming seria um "desserviço para equipe e elenco", segundo as fontes. Por isso, a única saída encontrada foi ignorar o escândalo.

Confira o trailer de Morte no Nilo:


Leia também

Enquete

Qual o personagem mais chato de Pantanal?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.