Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

COMBATE AO RACISMO

Apresentador do Emmy, Jimmy Kimmel pede desculpas por usar blackface

Reprodução/Comedy Central e Divulgação/ABC

Careca e com a pele escurecida, o comediante Jimmy Kimmel aparece usando blackface para imitar o jogador de basquete Karl Malone

O comediante Jimmy Kimmel em imagem de um esquete (à esq.) no qual imita o jogador Karl Malone, lenda da NBA

JOÃO DA PAZ

Publicado em 23/6/2020 - 15h42

Com um longo histórico de uso de blackface, técnica usada por brancos para pintar a pele de preto e zombar negros, o humorista Jimmy Kimmel pediu desculpas nesta terça-feira (23). O apresentador do Emmy deste ano foi alvo de uma enxurrada de críticas desde a semana passada, por esquetes nos quais imitava o atleta Karl Malone e Oprah Winfrey.

"Por muito tempo eu me segurei para comentar isso, pois [um pedido de desculpas] seria celebrado como uma vitória por aqueles que equiparam uma desculpa com fraqueza", disse Kimmel em um comunicado divulgado pela imprensa americana.

"Esse posicionamento que eu tinha foi um erro. Não há nada mais importante para mim do que respeito. E eu peço desculpas àqueles que eu feri ou ofendi, pela maquiagem que eu usei ou palavras que falei."

Esta parte final da declaração, "palavras que falei", é uma referência a um programa no qual Kimmel imitou o rapper Snoop Dogg e disse repetidas vezes a palavra "nigger" (termo pejorativo para se referir a negros).

Desde o fim dos anos 1990, Kimmel imitava Karl Malone, um dos jogadores mais importantes da NBA, a liga de basquete norte-americana. Ele usava maquiagem escura e ficava careca, para se parecer com o atleta. Tudo fazia parte de esquetes do programa The Man Show (1999-2004), do Comedy Central.

"Nós contratávamos maquiadores para fazer com que eu ficasse parecido com Karl Malone", explicou Kimmel, em uma tentativa um tanto quanto atrapalhada de se justificar. "Nunca considerei isso como algo além de uma imitação de outro humano. Entendia aquilo como a imitação de uma pessoa famosa, nada mais do que isso."

"Olhando para o passado, muitos dos esquetes que fazíamos [no The Man Show] eram vergonhosos", continuou. "É frustrante ver que aqueles momentos de descuido tenham se tornado armas usadas para, de alguma forma, diminuir minhas críticas sociais e outras injustiças."

O posicionamento de Jimmy Kimmel vem na carona da onda de protestos raciais nos Estados Unidos, que eclodiu após a morte do segurança negro George Floyd, assassinado por um policial branco, no final do mês passado. Os movimentos sociais, como o Black Lives Matter, reacenderam o debate sobre o racismo em todos os níveis da sociedade, inclusive o entretenimento.

Amigo e rival de Kimmel, Jimmy Fallon também pediu desculpas após um vídeo dele imitando o comediante Chris Rock, em um esquete do humorístico Saturday Night Live de 20 anos atrás, ressurgir na internet.

Nesta semana, streamings nos Estados Unidos e canais pagos vão deixar de disponibilizar e exibir quatro episódios da comédia 30 Rock (2006-2013), três vezes vencedora do Emmy, que contou com atores usando blackface.

A prática, que consiste em uma pessoa branca pintar o rosto com tinta escura para imitar uma pessoa de cor, é extremamente condenável pela sociedade americana. A técnica controversa surgiu no século 19, foi muito usada em peças teatrais e até nos primórdios do cinema no século seguinte, para ridicularizar negros.

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?