Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

EM ANGOLA

Bispos da Universal se rebelam contra ex-chefão da Record e tomam templos

REPRODUÇÃO/YOUTUBE

O bispo Honorilton Gonçalves expressa seriedade em vídeo publicado pelo canal Portal Universal, no YouTube

Honorilton Gonçalves em vídeo publicado no YouTube; bispo perdeu controle da Igreja Universal em Angola

REDAÇÃO

Publicado em 23/6/2020 - 14h06

Um grupo de pastores e bispos da Igreja Universal do Reino de Deus se rebelou contra o comando da instituição na África, exercido pelo ex-número 1 da Record, Honorilton Gonçalves, e tomou o controle de 85 templos em Angola. O grupo acusa a direção brasileira da igreja de evasão de divisas, expatriação ilícita de capital, racismo, discriminação, abuso de autoridade, imposição da prática de vasectomia aos pastores e intromissão na vida conjugal dos religiosos.

A informação foi publicada em primeira mão pelo jornalista Gilberto Nascimento, especialista em religião, no site da BBC News Brasil, e confirmada pelo Notícias da TV. Os pastores rebelados reclamam também da redução de salário. Com o apoio do governo local, eles decidiram romper com a direção brasileira e vão criar a Igreja Universal de Angola, país em que a denominação criada por Edir Macedo, dono da Record, tem 500 mil fiéis. Os rebeldes dizem já ter o comando de 42% dos templos.

Os conflitos de neopentencostais africanos com as diretrizes da Universal vêm de longa data, mas se acentuaram a partir de 2017, quando Honorilton Gonçalves assumiu o comando da igreja no continente, baseado em Moçambique. Gonçalves demitiu pastores e cobrou maior rigidez dos seguidores, como a monogomia e o impedimento dos pastores de terem filhos (para que possam sempre estar à disposição para viagens em missões).

Entre outras queixas, o grupo também denunciou falsificação de documentos, proibição de mulheres ao ensino, irregularidade no pagamento de direitos como segurança social, e falta de projeto para desenvolver formação em Teologia.

Em outubro de 2019, Gonçalves chegou a publicar um vídeo no YouTube para acusar um pastor de igreja em São Tomé e Príncipe de criar perfis em redes sociais para atacar a Igreja Universal. Gonçalves ordenou a prisão desse líder religioso, o que causou revolta. Em protesto, populares chegaram a atear fogo em alguns templos.

Rebelião

Antes da rebelião, em novembro de 2019, bispos e pastores de Angola tentaram conversar com Gonçalves, mas foram ignorados. Eles enviaram um manifesto assinado por cerca de 320 religiosos. 

No documento, pediam que a instituição fosse administrada apenas por angolanos e que os brasileiros deixassem o país. O porta-voz do grupo, Dinis Bundo, que se identifca como obreiro da Universal, denunciou à BBC que as melhores igrejas sempre foram designadas a brasileiros, que também ganhavam bons salários e carros de luxo.

Bundo informou ainda que os rebeldes assumiram o controle de 35 igrejas em Luanda, 18 igrejas em Benguela, 14 em Malanje, dez em Huambo e oito em Luanda-Norte. Além dessas, o grupo também tomou a Catedral do Morro Bento e do Cenáculo do Patriota, principais centros religiosos da Igreja Universal em Luanda.

De acordo com a reportagem especial, houve resistência e conflito em alguns templos, mas os angolanos conseguiram expulsar os brasileiros.

Em resposta à BBC, a Igreja Universal disse, em nota, que o grupo de angolanos espalhou mentiras absurdas com acusações de racismo infundadas para manipular os fiéis, além de negar todas as acusações.

A Universal também disse que se trata de fake news --"facilmente desmentida pelo fato de que muitos bispos e pastores da Universal, em todos os níveis de hierarquia da Igreja, têm filhos"-- a acusação de que obriga pastores a se submeterem à vasectomia. A Instituição, afirma, apenas prega o planejamento familiar. 

Ex-mandachuva da Record

Principal executivo da Record até 2013, Honorilton Gonçalves foi transferido pela Igreja Universal para a África em outubro de 2017. A transferência do bispo para Moçambique faz parte de um pacote de mudanças da cúpula da Universal, que incluía a promoção de Renato Cardoso, genro de Edir Macedo, ao cargo de responsável pela igreja em todo o mundo.

Gonçalves foi enviado para a África justamente para não interferir nas decisões de Cardoso, apresentador do programa The Love School, da Record, ao lado da mulher, Cristiane Cardoso.

Gonçalves comandou a Record durante o período de maior crescimento da emissora desde que foi comprada por Edir Macedo, em 1989. Sob sua gestão, a rede investiu R$ 300 milhões na construção de um complexo de estúdios no Rio de Janeiro, o RecNov, contratou atores, autores e jornalistas da Globo, disputou direitos esportivos (comprou a Olimpíada de Londres com exclusividade) e modernizou a programação.

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?