Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

Bastidores

Após Gugu, jornalismo deve assumir Xuxa e aumentar racha na Record

AGNEWS

O bispo Marcelo Silva e Xuxa Meneghel na apresentação da loira na Record, em 5 de março - AGNEWS

O bispo Marcelo Silva e Xuxa Meneghel na apresentação da loira na Record, em 5 de março

DANIEL CASTRO

Publicado em 6/4/2015 - 5h42

O departamento de jornalismo se transformou na área mais poderosa da Record. Depois de intervir no programa de Gugu Liberato e de passar a comandar 13 horas de programação por dia, o dobro da área artística, o jornalismo se prepara para comandar a atração de Xuxa Meneghel. Vice-presidente de jornalismo e biógrafo de Edir Macedo, Douglas Tavolaro já não esconde que manda tanto na emissora (ou até mais) do que Marcelo Silva, vice-presidente artístico e de programação, maior entusiasta da contratação de Xuxa.

Foi de Tavolaro a ideia de abortar o projeto de um programa vespertino diário e colocar a ex-"rainha dos baixinhos" nas noites de quarta-feira, dia em que a Globo é mais vulnerável, por causa do futebol. E o jornalismo se prepara para dar outro "golpe" no departamento artístico da Record: tem planos de pleitear o Programa da Tarde, com Luiz Bacci no lugar de Britto Junior.

Desde que o jornalismo passou a comandar o Domingo Show, de Geraldo Luís, há um ano, a Record é uma emissora dividida. O racha transparece aos olhos do telespectador mais atento. Na última quinta-feira, os programas jornalísticos da casa anunciavam a cada 15 minutos uma entrevista de Andressa Urach no programa de Gugu Liberato. Comandado pelo artístico até uma semana antes, Gugu não teve nem metade dessa promoção quando entrevistou Suzane von Richthofen e o ex-goleiro Bruno.

Com a "conquista" do programa de Gugu, Tavolaro avançou um pouco mais no terreno de Marcelo Silva. Foi um duro golpe na área artística, que agora só opina em questões plásticas e técnicas da atração, não mais no conteúdo. A negociação que entregou Gugu a Tavolaro passou longe da sala de Silva, bispo da Universal. Foi costurada diretamente entre Tavolaro, Edir Macedo e o também bispo Marcelo Cardoso, apontado como o futuro presidente da Record. Excluído da decisão, Marcelo Silva, o chefe do artístico, apenas adotou o discurso de que entregar Gugu ao jornalismo seria o melhor para a Record.

Jornalista de formação e mais "laico" da alta cúpula da Record (ele é apenas fiel da Igreja Universal), Tavolaro tem se cercado de bons profissionais e apostado em uma programação popular. Até agora, tudo o que ele tocou deu certo.

Se mantiver os bons resultados obtidos com Gugu na semana passada, Tavolaro se credenciará definitivamente para assumir o programa de Xuxa, apostam observadores dos bastidores da Record ouvidos pelo Notícias da TV.

A "incorporação" do Programa da Tarde é questão de tempo. O vespertino derruba a audiência que recebe do Balanço Geral do meio dia (comandado pelo jornalismo) e perde para as novelas mexicanas do SBT. Para uma emissora que pretende ser vice, a situação é no mínimo incômoda.

O futuro do Programa da Tarde vai depender do desempenho de Luiz Bacci, recontratado na semana passada, à frente do Balanço Geral das 6h da manhã. Se Bacci decolar no horário, é forte candidado a tomar o lugar de Britto Junior, que ficaria apenas com A Fazenda. E o jornalismo transformaria o Programa da Tarde em uma atração mais vibrante, baseada em noticiário, prestação de serviços e boas doses de mundo cao, especialidade da casa.

Nos bastidores da Record, especula-se que chegará um momento em que Tavolaro será declarado ganhador da quebra de braço com o artístico e assumirá a área definitivamente. O chefe de Redação Thiago Contreira, ex-produtor do Jornal Nacional, já é apontado como provável sucessor.


► Curta o Notícias da TV no Facebook e fique por dentro de tudo na televisão

► Siga o Notícias da TV no Twitter: @danielkastro

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Quem deve ser a nova Juma Marruá?