Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

PROCESSO MILIONÁRIO

Amora Mautner nega plágio em A Dona do Pedaço: 'Delírio absoluto'

ESTEVAM AVELLAR/TV GLOBO

Amora Mautner está falando ao microfone ao lado de Walcyr Carrasco, na festa de lançamento de A Dona do Pedaço

Amora Mautner ao lado de Walcyr Carrasco; ela defendeu o autor de A Dona do Pedaço (2019) da acusação

CARLA BITTENCOURT, colunista

carla@noticiasdatv.com

Publicado em 17/5/2022 - 13h29

Amora Mautner saiu em defesa de Walcyr Carrasco, que é acusado de cometer plágio em A Dona do Pedaço, novela de 2019. Sandra Rodrigues Campos está processando a Globo. A vendedora de bolos alega que sua história foi copiada e que ela é a verdadeira Maria da Paz, personagem criada por Carrasco e interpretada por Juliana Paes. O caso foi apresentado em São José do Rio Preto, interior de São Paulo.

"Não existe isso! Delírio dessa moça", escreveu Amora em um comentário no post do Notícias da TV sobre o assunto no Instagram. A profissional dirigiu a novela, que foi ao ar em 2019, e afirma que o autor não copiou a história de ninguém. "Eu vi o craque do Walcyr em todas as etapas de criação. Delírio absoluto, só rindo", continuou Amora, colocando emojis de risos em seguida. Ela também foi a diretora de Verdades Secretas 2 (2021).

Segundo os autos, aos quais o Notícias da TV teve acesso, a vendedora pede R$ 5 milhões por danos materiais, R$ 5 milhões por danos morais e mais R$ 5 milhões de indenização por lucros cessantes. Sandra também quer proibir que a Globo use a marca A Dona do Pedaço, que afirma se referir a ela desde 2004.

No processo, a autora conta que nasceu em Rio Verde, no interior do Estado de Goiás, e que se mudou para São José do Rio Preto aos 30 anos. Para bancar as despesas da casa e criar sua filha, Sandra passou a fazer e vender na rua bolos caseiros de receitas de família. Assim como aconteceu com Maria da Paz, Sandra aprendeu a fazer bolos com a avó.

Em 2004, a boleira passou a apresentar um programa de televisão que se chamava A Dona do Pedaço, seu apelido na região. A atração ia ao ar na
TV Gente, emissora local, que foi ao ar pelo canal eventual 15 da NET Rio Preto. No programa, a boleira preparava receitas e comandava entrevistas.

Por causa da produção, seu nome ganhou destaque na comunidade, e ela ficou conhecida na região como A Dona do Pedaço. Sandra foi personagem de algumas reportagens em veículos locais, como, por exemplo, na revista Ala Vip Magazine (foto abaixo).

reprodução

Reportagem sobre Sandra, a Dona do Pedaço

Sandra afirma que foi surpreendida quando a novela batizada com seu apelido entrou no ar no horário nobre da Globo. Na trama, a atriz Juliana Paes deu vida à protagonista, Maria da Paz, divorciada, com uma filha (Josiane, papel de Agatha Moreira) e de origem humilde. A personagem encontra nas receitas de família o segredo para se tornar uma famosa boleira.

"Nitidamente houve violação aos direitos autorais por parte da ré, porquanto a história de vida da personagem Maria da Paz é igual à da autora além de plágio ao nome A Dona do Pedaço, que vem sendo utilizado pela autora por mais de uma década e meia, e representa suas raízes", diz a inicial do processo.

A negociação da marca usada para novela, aliás, foi feita em São José do Rio Preto. Anderson Rozani, que dirigia a atração de Sandra, vendeu o termo A Dona do Pedaço para a Globo em 2019. Proprietário da empresa Rozanitalic Propaganda e Marketing Limitada, o ex-diretor negociou a marca --que era sua desde 2005-- para a emissora no ano em que a novela estreou.

"Resta claro e nítido que a empresa ré [Globo] tinha todo conhecimento da história da autora e que a mesma era conhecida como a Dona do Pedaço. Logo, a empresa ré não comprou apenas a marca, e sim toda história da autora", acusa no processo.

Procurada, a Globo --que já foi citada pela Justiça-- afirmou que "não comenta casos sub judice". Já o autor Walcyr Carrasco não respondeu às mensagens desta reportagem. Sandra aguarda a definição do segredo de Justiça que foi pedido e a liminar proibindo a Globo de usar a marca.


Leia também

Enquete

Pantanal perde audiência: novela está chata?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.