Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

'JUSTIÇA SEJA FEITA'

Irmã de Rafael Miguel revela frustração com prisão de Paulo Cupertino

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Camila Miguel, irmã de Rafael Miguel (1996-2019), desabafa sobre a tragédia familiar no Encontro

Camila Miguel, irmã de Rafael Miguel (1996-2019), desabafa sobre a tragédia familiar no Encontro

IVES FERRO

ives@noticiasdatv.com

Publicado em 17/5/2022 - 11h49
Atualizado em 17/5/2022 - 12h13

Camila Miguel, irmã de Rafael Miguel (1996-2019), ainda não se sente segura com a prisão de Paulo Cupertino, acusado de ter matado seu irmão e seus pais em 2019. A jovem demonstrou frustração com a demora das investigações policiais até a captura do homem e revelou que não manteve contato com Isabela Tibcherani, filha de Cupertino e namorada de Rafael na época do crime.

"Confesso não sentir muita coisa, ainda não consegui processar tudo. Nós estamos no sentimento de que algo possa acontecer agora, talvez uma justiça seja feita, por mais que não tenhamos nenhum desfecho de como vai ser feito agora, mas foi um baque. Veio de repente", desabafou ela durante participação no Encontro desta terça-feira (17).

"[Com] Toda a frustração de todos esses anos esperando, sem ter notícias do que estava sendo feito, sem encontrar ele, a gente acaba armando uma defesa para não se frustrar ainda mais. [...] A gente continua preso ao sentimento de seguir em frente. Já tivemos a família destruída, então nos esforçamos ao máximo dia após dia para seguir em frente, construir nossa paz, nossa segurança e nossa felicidade", completou.

Fátima Bernardes questionou Camila se ela teve algum contato com Isabela após a tragédia. A entrevistada revelou que ninguém de sua família se aproximou da jovem. "Já não tinha muito contato antes, era do tipo 'sei que é a namorada do meu irmão'. Não tivemos mais contato, até por uma questão de segurança. A gente decidiu se manter afastado", contou.

Ela explicou como soube do histórico de agressividade de Cupertino: "Havia conversas em que ele [Rafael] expunha como ele [Cupertino] era agressivo e dava medo. Inclusive ele tinha medo de se mudar [para morar] com ela [Isabela]. Nós tínhamos um conhecimento muito pequeno, nós nunca imaginamos que isso iria bater na nossa porta nesse nível".

Entenda o caso

Paulo Cupertino foi preso na última segunda-feira (16) pela Polícia Civil de São Paulo. Ele estava foragido desde 9 de junho de 2019, após matar a tiros Rafael Miguel e os pais dele, João Alcisio Miguel e Mirian Selma Miguel. Os três tinham ido à casa de Isabela Tibcherani, filha de Cupertino, para conversar sobre o namoro dela com o ator.

Segundo informações divulgadas pela Polícia Civil, a motivação do crime teria sido a não aceitação do relacionamento da filha com o ator. De acordo com o G1, o acusado morou durante oito meses no Mato Grosso do Sul, num sítio na cidade de Eldorado, e usou o nome falso Manoel Machado da Silva. Há indícios de que ele se escondeu também no interior de São Paulo, no Paraná e no Paraguai.


Leia também

Enquete

Pantanal perde audiência: novela está chata?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.