Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

PALHAÇOS SENSUAIS

Acha que Xuxa sexualizou as crianças? Então precisa conhecer o Ilariê do México

Divulgação/Memória Globo e Reprodução/Facebook

Xuxa Meneghel usa blusa de tela preta no programa Xuxa, da Globo, e Jaime Medina caracterizado como o palhaço Alpha, sem camisa

Xuxa Meneghel no programa Xuxa, e Jaime Medina, o Alpha do grupo Wapayasos y Horripicosos: sexy demais?

LUCIANO GUARALDO

luciano@noticiasdatv.com

Publicado em 25/6/2020 - 5h17

Conhecida pelos shorts curtos e blusas decotadas que usava para apresentar seus programas infantis na Manchete e na Globo, Xuxa Meneghel foi detonada por supostamente ter sexualizado as crianças precocemente. Mas o que a rainha dos baixinhos fez não chega aos pés do grupo mexicano Wapayasos y Horripicosos, que publicou uma versão bem sensual do hit Ilariê em seu canal do YouTube.

No vídeo, os integrantes aparecem sem camisa em uma academia, malhando ao som da música que se tornou um dos maiores sucessos da carreira de Xuxa. Eles também rebolam de maneira sugestiva e até mostram as cuecas, enquanto a câmera dá closes em seus tanquinhos suados.

Confira a versão nada infantil de Ilariê:

Pelo vídeo é difícil imaginar, mas o Wapayasos tem como público-alvo principal as crianças do México. Caracterizados como palhaços e vestidos com roupas coloridas, eles fazem aparições em festas infantis e matinês lotadas.

Porém, os seis rapazes começaram a chamar a atenção também das mães dos pequenos e passaram a fazer performances mais sensuais para uma plateia mais velha. Eles agora se apresentam em casas noturnas, inclusive as voltadas para o público gay, com trajes mínimos ou só de toalha --que chega a cair durante a noite.

Na internet, inclusive, o grupo mantém dois perfis no Instagram. O principal, @wapayasosyhorripicosos, tem 331 mil seguidores. Já o secundário, @wapayasosalextremo, atualmente com 25 mil fãs, tem foco nas imagens mais sensuais, inclusive algumas em que os integrantes da trupe aparecem nus.

Rainha arrependida

Em entrevista ao Conversa com Bial exibido na madrugada de 23 de maio, Xuxa Meneghel disse que sua intenção nunca foi ter sexualizado as crianças que iam a seus programas, mesmo ciente de que as roupas que usava para interagir com seus baixinhos não eram apropriadas.

"As roupas eram bem cavadas. Pra seguir a moda, eu tinha que seguir a coisa sensual e sexual. Eu não estava querendo sensualizar, sexualizar ou estimular isso para as crianças, mas se eu não fizesse isso estaria fora do que estava acontecendo diariamente da porta pra fora. Todo mundo fazia isso na praia, na piscina, nas músicas, videoclipes, na TV, nas aberturas de novela", listou.

Xuxa lembrou que a carreira como apresentadora infantil começou no dia em que foi à TV para divulgar seu ensaio nu para a Playboy, em 1982. Convidada do talk show Etc., que Ziraldo apresentou durante apenas um ano na Band, ela conheceu naquela noite o diretor Maurício Sherman (1931-2019), responsável por transformar aquela modelo sensual na rainha dos baixinhos.

"Essa coisa de botar uma modelo pra trabalhar com criança foi audaciosa. Eu não estava preparada, e a televisão também não estava. A minha sensualidade era muito maior. Nas fotografias naquela época, nos anos 1980, a mulher era mais sensual e tinha que fazer caras e bocas. Hoje em dia é mais natural, antigamente era mais forçada. A sensualidade era muito presente, e foi um risco muito grande que o Sherman correu em dar esse espaço pra mim na TV", frisou.

"Se você parar pra pensar e ver meus programas, 80% das coisas que eu fazia no Xou da Xuxa era politicamente incorreto. Da maneira como eu falava com as crianças, coisas que eu fazia, o jeito que eu me vestia, até as músicas que tocavam. Eu teria sido crucificada se tivesse feito isso hoje em dia", analisou ela a Bial.


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Quem deve ser a nova Juma Marruá?