Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

Última chance

Revenge sai da Netflix em setembro; confira cinco motivos para (re)ver a série

Imagens: Reprodução/ABC

A atriz Emily VanCamp em cena da segunda temporada de Revenge, na pele da loira Emily Thorne

A atriz Emily VanCamp na série Revenge; drama de sucesso vai deixar a Netflix no próximo dia 15

JOÃO DA PAZ

Publicado em 28/8/2019 - 5h15

Drama de enorme sucesso, Revenge (2011-2015) está com os dias contados em sua única vitrine de exibição no Brasil. A série vai deixar o catálogo da Netflix no próximo dia 15. Ou seja, agora é uma boa hora para correr e assistir à "Avenida Brasil americana", como foi rotulada a atração, em comparação a uma das maiores novelas da Globo da década.

De tramas de vingança a reviravoltas insanas, passando por galãs seminus, vilã cínica e protagonista durona, a série de Mike Kelley (criador de Dilema) é um prato cheio para maratonar e se deliciar com os mais variados barracos e romances.

Confira cinco motivos para ver, ou rever, Revenge:

Protagonista durona

Não existe série boa sem uma protagonista convincente. Embora a atriz Emily VanCamp não seja lá essas coisas, sua personagem é marcante: a vingativa Amanda Clarke. Ela assume a identidade de Emily Thorne e vai morar no balneário Hamptons para destruir a família Grayson, a quem ela culpa pela prisão e morte do pai. 

Nada impede Emily nessa missão. Cheia de truques e com atitude ninja, desferindo até golpes de artes marciais, a loira vai vencendo etapas em sua jornada. Por mais que Emily seja essencialmente desonesta, ela consegue atrair a torcida dos telespectadores, tal como uma verdadeira anti-heroína. 

Vilã cínica

Uma protagonista não é nada sem uma vilã à altura. E Emily tem a sua. A socialite Victoria Grayson (Madeleine Stowe) rouba a cena com seu cinismo característico, capaz de disparar em uma conversa um sorriso do tipo "vou te matar, vadia". Os embates com Emily são épicos e irrestíveis, até porque Victoria é a clássica megera de coração frio, impiedosa.

Diferentemente de Emily VanCamp, Madeleine Stowe é uma atriz mais graúda e foi reconhecida por isso: é a única integrante do elenco a concorrer a um grande prêmio: o Globo de Ouro de 2012, que perdeu para Claire Danes, de Homeland.

Emily VanCamp e Madeleine Stowe são dinâmicas como heroína e vilã na série Revenge


Reviravoltas insanas

Dizer que Revenge tem reviravoltas insanas é um eufemismo. Esse é um ponto que segura o telespectador ao longo da série, pois realmente os caminhos que a história percorre são surpreendentes e pegam o público de jeito. Dá aquela sensação real de não saber o que vai acontecer depois.

As manobras que Revenge tira da cartola são criativas, mesmo quando explora tramas banais, já vistas aos montes na TV. O drama é cheio de teorias conspiratórias, falsidade e traições de pessoas que, até então, eram leais umas com as outras. Coloque na conta também testes de paternidade à la Ratinho, suicídios forjados e passagem por manicômio.

Trama envolvente

Essas reviravoltas são importantes porque encorpam o desenvolvimento dos personagens. A trama principal é a jornada de vingança de uma filha (Emily) que busca justiça e faz de tudo para arruinar uma família inteira. Conforme os episódios passam, outras histórias ganham espaço e provocam interesse no telespectador.

Os atores Barry Sloane e Justin Hartley cumpriram a cota de homens sem camisa em Revenge


Galãs seminus

Os homens de Revenge emplacam os mais diferentes tipos de romances na série, daqueles no estilo dos livros mais apaixonantes. Os galãs Daniel Grayson (Josh Bowman) e Ben Hunter (Brian Hallisay) foram namorados de Emily Thorne e encabeçam a lista dos principais galãs da trama.

Entre os bonitões que vez ou outra apareciam andando de lá para cá só com uma toalha enrolada na cintura, vale citar também Aiden Mathis (Barry Sloane), Patrick Osbourne (Justin Hartley) e o policial Jack Porter (Nick Wechsler), um dos personagens masculinos mais queridos das telespectadoras.

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Quem deve ser a nova Juma Marruá?