É HORA DE MORFAR

Invadimos a convenção de Power Rangers e descobrimos rivalidades no elenco

Reprodução/YouTube

Jason David Frank e Ciara Hanna, astros de diferentes gerações de Power Rangers, na convenção - Reprodução/YouTube

Jason David Frank e Ciara Hanna, astros de diferentes gerações de Power Rangers, na convenção

LUCIANO GUARALDO, em Anaheim (EUA) - Publicado em 03/09/2018, às 05h34

Não basta ser fã, tem que participar. E é exatamente isso que milhares de seguidores de Power Rangers fazem a cada dois anos, durante a Power Morphicon, a maior convenção do planeta sobre os heróis coloridos. A reportagem do Notícias da TV visitou o evento e descobriu segredos sobre a produção. Inclusive uma rivalidade entre os dois atores mais famosos da franquia, que completou 25 anos no último dia 28.

Austin St. John, intérprete de Jason Lee Scott nas duas primeiras temporadas, e Jason David Frank, que viveu Tommy Oliver entre 1993 e 2004, não se gostam. E, apesar de não falarem publicamente sobre a rixa, também não fazem questão de disfarçá-la: assim que a presença de Frank foi confirmada na Power Morphicon, St. John anunciou que não poderia participar. Nas convenções anteriores, nas quais David Frank não deu as caras, Austin compareceu em todos os dias de evento, realizado em agosto em Anaheim, perto de Los Angeles (EUA).

Para não frustrar os fãs que já tinham comprado ingresso, o ator anunciou que faria um encontro especial na quinta-feira (16), um dia antes do início oficial da convenção. Jason David Frank surgiu na Morphicon apenas no sábado (18), com mais de 24 horas de separação entre ele e seu rival, para se certificar de que os dois sequer se esbarrariam no hotel que hospeda os atores durante a festa.

O motivo da animosidade entre os dois atores nunca foi explicado, mas fãs especulam que é uma guerra de egos. Austin St. John foi o primeiro Ranger vermelho e deveria ser o líder da equipe. Mas a chegada do personagem de David Frank no meio do primeiro ano ofuscou o protagonista. Enquanto St. John acabou demitido ao brigar por um salário melhor, seu rival foi recontratado. Várias vezes.

Tommy se tornou queridinho dos fãs e dos produtores da série _a ponto de ser o grande destaque do episódio especial que celebrou os 25 anos da franquia, exibido nos EUA na última terça (28). Jason não deu as caras e sequer foi citado no capítulo.

Mas St. John não é o único a se irritar com a predileção dos fãs pelo outro. No sábado, cada aparição de Jason David Frank na convenção rendia gritos ensurdecedores. O ator Matt Austin, que atuou na franquia em 2005, ironizou a reação exagerada: "O Jason está de volta?", disse, aos risos, à reportagem.

fabrizio guaraldo/notícias da tv

Fãs vestidos como seus heróis favoritos na Power Morphicon 2018, realizada em agosto

Para todos os gostos
Mas nem só de rixas se faz uma Power Morphicon. Especialmente uma que aconteceu em um ano tão emblemático para a série. Mais de 130 convidados com ligação com os Power Rangers passaram por lá _atores, roteiristas, produtores e até o compositor da música Go Go Power Rangers, Ron Wasserman.

O público tinha pessoas de todas as idades. Dos veteranos, que viram as primeiras temporadas da franquia, às crianças, que assistem às fases mais recentes e sequer imaginam quem são Tommy, Jason, Kimberly ou a feiticeira Rita Repulsa.

Assim, há convidados para todos os gostos. E eles ficam no grande salão da Power Morphicon, disponíveis para conversar com os fãs sobre suas lembranças da série, para tirar selfies ou autografar fotos e brinquedos da franquia.

A brasileira Chrysti Ane Lopes (de rosa) assina pôster com Zoe Robins (Fabrizio Guaraldo/Notícias da TV)

E os fissurados viajam do mundo inteiro, das regiões mais próximas dos Estados Unidos aos continentes mais distantes. Inclusive do Brasil. A reportagem do Notícias da TV não era a única representante tupiniquim no evento. Um grupo de quatro fãs chamou nossa atenção ao falar português pelos corredores. Depois, eles foram vistos tietando os atores Chrysti Ane Lopes e Davi Santos, dois dos três brasileiros que já passaram pelo elenco da franquia.

A paixão dos brasileiros por Power Rangers é intensa, a ponto de atores viajarem até aqui para participarem de eventos menores do que a Power Morphicon. Erin Cahill, uma das atrizes mais queridas pelo público, contou a reportagem que estava ansiosa para sua visita ao país _ela foi confirmada na CCXP, que acontece no fim do ano em São Paulo. "Quero muito dar um abraço bem apertado nos fãs", disse.

Já Jessica Rey, que atuou na série em 2002 (ao lado de Ricardo Medina Jr., preso por assassinar seu colega de apartamento com uma espada samurai), ao descobrir que a reportagem tinha viajado do Brasil, pediu que levássemos brigadeiros para ela. Impossível descrever a sensação de decepcionar uma das defensoras do planeta.

Bem mais animador é ver a alegria dos ex-atores da franquia ao conversarem com fãs e descobrirem a importância que Power Rangers teve na vida de cada um. É que muitos dos intérpretes abandonaram a profissão e exercem trabalhos "comuns", como advocacia, organização de festas ou confecção de roupas de banho.

"Nós não somos reconhecidos na rua, como astros de Hollywood, então é realmente tocante ver o carinho de todos vocês mesmo tantos anos depois", disse Roger Velasco, intérprete de Carlos nas temporadas 1997 e 1998 da franquia.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Você gostou da novela Orgulho e Paixão?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook