Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

SCOTT BAKULA

Coronavírus e protestos farão séries policiais 'andar em corda bamba', diz astro de NCIS

Divulgação/CBS

Com jaqueta de polícia e um boné escrito NCIS, o ator Scott Bakula fala ao celular em cena da série NCIS: New Orleans

Scott Bakula em cena da sexta temporada de NCIS: New Orleans, que sofrerá mudanças no próximo ano

LUCIANO GUARALDO

luciano@noticiasdatv.com

Publicado em 15/7/2020 - 6h45

A pandemia de coronavírus forçou Hollywood (e boa parte do mundo) a parar, e protestos raciais nos Estados Unidos colocaram em xeque produções que posicionam o policial branco como herói e os negros como criminosos. De agora em diante, isso terá de mudar. E para o veterano Scott Bakula, protagonista de NCIS: New Orleans, séries policiais como a que ele mesmo estrela começarão a "andar em uma corda bamba".

"Ainda não começamos a gravar [a sétima temporada, prevista para estrear nos EUA entre setembro e novembro], mas acho que já temos muita coisa para processar. Claro que vamos levar em conta tudo o que aconteceu nos últimos meses, mas ainda pode ocorrer muita coisa até nossa estreia, então precisamos considerar o que vai acontecer até lá", diz ele, também produtor do drama, ao Notícias da TV.

A terceira série da franquia NCIS, um fenômeno de audiência na TV americana e em todo o mundo, terá de lidar com o coronavírus de maneira ainda mais intensa do que outras produções televisivas. Afinal, além de definir um protocolo de segurança para colocar a equipe novamente no estúdio, os roteiristas vão inserir nos episódios como a Covid-19 afetou Nova Orleans, cidade em que a trama é situada --o Estado da Lousiana registrou quase 80 mil casos e 3,3 mil mortes até o momento. 

"Imagino que essa temporada vai ser diferente de todas que já fizemos até agora, por causa do coronavírus e de como isso afetou Nova Orleans. E, ao mesmo tempo, precisamos lembrar que é um escapismo da realidade também. Será que as pessoas vão estar saturadas de ouvirem falar de Covid-19 até lá?", questiona ele.

Bakula adianta, porém, que mesmo que a população esteja cansada do tema, a pandemia vai ser abordada na série. "Temos uma personagem [Loretta Wade, vivida por CCH Pounder] que trabalha como legista. E Nova Orleans passou por muitos problemas, foi muito afetada. Não dá para ignorar algo tão grande!", entrega.

Ele aponta uma possibilidade de inserir o vírus na história sem mostrar mortes, doentes nem levar tristeza para um público que deseja se distrair da realidade. "Podemos abordar o lado humano, das pessoas que se arriscam, dos heróis da vida real. Granular algumas histórias para não ignorar o que está acontecendo. Acho que as pessoas não querem ligar a TV e ver tudo o que já passaram, sabe?", filosofa.

Como há negros na equipe, a questão racial certamente também estará presente de alguma maneira. O ator entende que os roteiristas e produtores terão um trabalho bem difícil na próxima leva de episódios.

"Vamos caminhar na corda bamba, para ser honesto, durante toda a temporada. Precisamos ser atuais e, ao mesmo tempo, nos mantermos à frente das notícias para retratarmos a realidade da população. E sem deixar de ser entretenimento também!", aponta o veterano de 65 anos. "Vai ser um desafio e tanto!"

Enquanto a sétima temporada de NCIS: New Orleans não começa, os fãs acompanham o sexto ano no canal pago A&E, que exibe episódios inéditos toda sexta-feira, às 22h. A atração policial é uma daquelas que não está disponível em nenhum serviço de streaming e, no Brasil, só pode ser vista na TV paga.


Leia também

Enquete

Você gostou da escolha de Tadeu Schmidt para o BBB22?

Web Stories

+
Elenco de Verdades Secretas 2: Conheça os novos personagens da novelaOutubro Rosa: Conheça cinco famosas que venceram o câncer de mamaAlém de José de Abreu: Sete atores brasileiros que se aventuraram na políticaApós derrota em eleição, Victor Pecoraro perde mais uma votação e deixa A Fazenda 13Deixaram saudade: Conheça cinco atores de O Clone que já morreram

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas