Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

2ª TEMPORADA

Abuso sexual e corrupção: O que saber antes de assistir Bom Dia, Verônica

REPRODUÇÃO/NETFLIX

Imagem de Tainá Müller apontando uma arma em cena da 1ª temporada de Bom Dia, Verônica

Tainá Müller em cena de Bom Dia, Verônica; 2ª temporada estreia quarta-feira (3) na Netflix

PAOLA ZANON

paola@noticiasdatv.com

Publicado em 2/8/2022 - 6h20

A segunda temporada de Bom Dia, Verônica estreia na Netflix nesta quarta-feira (3), quase dois anos após o fim da primeira parte. A série girou em torno da investigação que Verônica (Tainá Müller) fez para pegar um abusador e serial killer.

[Atenção: Contém spoilers da primeira temporada de Bom Dia, Verônica abaixo]

A trama conta a história de Verônica, uma escrivã da delegacia de homicídios que presencia um suicídio suspeito no local de trabalho. A funcionária se revolta com o pouco caso do delegado Wilson Carvana (Antônio Grassi), que também é seu padrinho e não move um dedo pela investigação.

Ao fazer uma busca paralela, a protagonista se depara com a existência de um serial killer que abusa sexualmente de mulheres antes de matá-las. Seguindo seus instintos, Verônica descobre que o criminoso trata-se do policial Carlos Brandão (Eduardo Moscovis), protegido por uma rede corrupta dentro da polícia.

Como todo assassino em série, Brandão agia seguindo um padrão: captava mulheres solitárias e recém-chegadas na cidade e em busca de emprego. A abordagem era feita por sua mulher, Janete (Camila Morgado), a quem ele obrigava a sequestrar as vítimas e ouvir toda a tortura de dentro de uma caixa.

A escrivã torna-se aliada da mulher do policial e descobre que seu pai, Júlio (Cássio Pandolfi), também investigava o mesmo caso quando foi acusado de matar a própria mulher e terminou em estado quase vegetativo em um asilo.

Sem acreditar que o pai era um assassino, Verônica seguiu o rastro da investigação e descobriu uma máfia, ligada ao orfanato Cosme e Damião, com policiais corruptos. Entre eles estavam Brandão e Carvana.

Só então a escrivã ligou os pontos e entendeu o motivo de determinados casos de feminicídio e abuso sexual terem investigações que não davam em nada e acabarem arquivados. Dentro da polícia, ela contava com a ajuda apenas de Nelson (Sílvio Guindane), já que a delegada Anita (Elisa Volpatto) era hostil com as vítimas e as tratava como culpadas pelos abusos.

Mais tarde, é mostrado que a delegada também era envolvida na máfia. Ela chega até a atacar a protagonista em determinado momento.

Ao descobrir que Brandão havia matado seu padrinho corrupto e carbonizado Janete, Verônica, em um acesso de raiva, o mata também e ateia fogo no cadáver do vilão. Logo em seguida, ela faz uma denúncia anônima com o local dos assassinatos e vê uma oportunidade de tentar resolver tudo.

O último episódio tem a revelação de que a escrivã forjou a própria morte, com a ajuda de Victor Prata (Adriano Garib), médico legista da delegacia, e assumiu a identidade de Janete. Esse foi o último recurso que ela encontrou para investigar, em segurança e sem interferência, a máfia que envolve os policiais corruptos.

Confira abaixo o trailer da segunda temporada de Bom Dia, Verônica:


Leia também

Enquete

Qual o personagem mais chato de Pantanal?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.