Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

Especial polêmico de Natal

Patrocinadora do Porta dos Fundos reprova vídeo com sátira de Jesus

Reprodução/YouTube

O ator Gregório Duvivier, que interpreta Jesus Cristo no Especial de Natal do Porta dos Fundos - Reprodução/YouTube

O ator Gregório Duvivier, que interpreta Jesus Cristo no Especial de Natal do Porta dos Fundos

PAULO PACHECO

Publicado em 10/1/2014 - 15h56

O Grupo Petrópolis, patrocinador do Porta dos Fundos, reprova o Especial de Natal que satiriza o nascimento de Jesus Cristo.

Em comunicado divulgado à imprensa nesta sexta (10), o grupo que fabrica a cerveja Itaipava afirma respeitar "os princípios de fé" das pessas e que não apoia "qualquer manifestação que venha a atingir esses valores religiosos que se tem como sagrados". Embora repudie a sátira, a cervejaria não deixará de patrocinar o Porta dos Fundos.

A resposta da cervejaria vem após a pressão de fiéis e líderes da Igreja Católica para que a empresa deixe de anunciar no site do grupo de humor.

No último domingo (5), o Arcebispo Metropolitano de São Paulo, dom Odilo Scherer questionou em seu perfil no Twitter o caráter humorístico do vídeo. "Será que isso é humor? Ou é intolerância religiosa travestida de humor? Péssimo mau gosto!", escreveu dom Odilo Scherer, que recomendou aos fiéis que assinem uma petição online para que a cerveja Itapiava deixe de patrocinar o Porta dos Fundos.

Até a tarde desta sexta-feira (10), a petição "Diga à Itaipava para deixar de apoiar o ataque ao Cristianismo!" tinha assinada por mais de 20,6 mil pessoas. Já o Especial de Natal do Porta dos Fundos teve mais de 4 milhões de acessos no YouTube.

No vídeo, José (Antonio Tabet) diz que Maria (Julia Rabello) não é mais virgem e tem ciúme de Deus (Rafael Infante), se recusa a deixar os dois sozinhos. Jesus (Gregorio Duvivier) cresce e aparece com uma namorada que trabalha "na esquina", dá uma "carteirada" para entrar numa taberna e fazer a última ceia e, ao ser crucifixado, reclama que a cruz não é de mogno, tem cheiro de MDF.

Leia o comunicado do Grupo Petrópolis sobre o Especial de Natal do Porta dos Fundos:

"Nossa Constituição Federal fixa a liberdade de expressão, impondo limites ao se atingir liberdades e direitos alheios, respondendo cada um por seus atos. O Grupo Petrópolis respeita esses direitos, assim como respeita os princípios de fé de manifestação religiosa de todos.

Dessa forma, o Grupo Petrópolis não endossa e não apoia qualquer manifestação que venha a atingir esses valores religiosos que se tem como sagrados. Portanto, na recente veiculação do programa “Especial de Natal”, do humorístico “Porta dos Fundos”, o Grupo Petrópolis, além de não ter previamente mantido qualquer tipo de contato com seu conteúdo, ainda, não admite que suas marcas sejam relacionadas com tais manifestações, pois não representa o pensamento de seus Diretores.

O Grupo Petrópolis aproveita a oportunidade para manifestar o seu mais profundo respeito por todas as manifestações religiosas."

LEIA TAMBÉM:

Arcebispo de SP critica 'intolerância religiosa' do Porta dos Fundos

Anderson Silva reclama de dores em entrevista ao Fantástico

Na cadeia, Aline ficará em choque ao saber que Ninho está vivo

Filme de Wagner Moura derruba audiência da Globo em São Paulo

Paulo Vilhena teve de recusar papel de Niko em Amor à Vida

Record paralisa Milagres de Jesus e faz mutirão para salvar a série


► Curta o Notícias da TV no Facebook e fique por dentro de tudo na televisão

Prêmio NTV Melhores do ano

Enquete

Quem foi o melhor ator ou atriz de novela do ano?

Web Stories

+
Mansão nova, presença VIP e publis: Saiba tudo sobre a carreira de Deolane BezerraÚltima temporada de La Casa de Papel: Após o fim, série já tem spin-off confirmadoFicção virou realidade: Casa de Esqueceram de Mim é aberta ao público; veja fotosDivórcio, tragédia e treta: 5 notícias que peões de A Fazenda 13 não sabemJuan Paiva rouba a cena em Um Lugar ao Sol; conheça a história do ator

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas