Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

VALE TUDO

Globo usa indígenas, música e belezas naturais para levantar horário nobre

JOÃO MIGUEL JR./TV GLOBO

Em Pantanal, Almir Sater vive o chalaneiro Eugênio, que passa por quase todos os núcleos da novela

Almir Sater esteve na versão original de Pantanal; a música é uma das armas da Globo na faixa

CARLA BITTENCOURT, colunista

carla@noticiasdatv.com

Publicado em 22/2/2022 - 7h00

Com a pandemia um pouco mais controlada, a Globo está organizando sua faixa de novela das nove com Pantanal, Olho por Olho, Travessia e uma trama de Walcyr Carrasco. A grande preocupação da emissora é recuperar a audiência perdida no período das reprisadas e voltar a exibir histórias que repercutam e virem assunto nas redes sociais. Com o pontapé dos trabalhos de Olho por Olho, a fila dos folhetins do horário nobre com datas, elenco e cenário já começou a ser definida.

Após Um Lugar ao Sol entrará a nova versão de Pantanal, já definida para estrear em 28 de março. Além das belas imagens pantaneiras, a música é outro grande destaque dessa história. É com esses elementos que a emissora espera conquistar o telespectador novamente. 

A presença de AlmirSater, que esteve na versão escrita por Benedito Ruy Barbosa, e retorna agora, é um capítulo à parte. O cantor vive o chalaneiro, Eugênio, que leva e traz as pessoas ao Pantanal e, por isso, passa por quase todos os núcleos.

O público terá a oportunidade de ouvi-lo tocar ao lado de Chico Teixeira (filho do parceiro de estrada de Almir, Renato Teixeira), que dará vida ao peão Quim na primeira fase da novela. Já durante as famosas rodas de viola que marcaram a segunda fase da versão original, Eugênio participará ao lado de Tibério (Guito) e Trindade, papel de Gabriel Sater, que encara o desafio de refazer o personagem original de seu pai.

Olho por Olho, novela de João Emanuel Carneiro, estreia na primeira semana de outubro com previsão de 149 capítulos --assim a Globo conseguirá escapar do período crítico das festas de fim de ano. Portanto, a substituta (de autoria de Gloria Perez) virá em abril em 2023. O grande trunfo do autor é Regina Casé no papel de vilã da história justamente depois do sucesso da icônica Lurdes em Amor de Mãe (2019).

Aliás, Gloria Pires comentou com pessoas próximas que foi, gentilmente, desconvidada para o papel da vilã Zoe. A ordem, claro, é para todos dizerem que a atriz deixou o elenco para se dedicar a outros projetos. Mas a verdade é que Gloria foi avisada que não faria mais Olho por Olho e que, em breve, a emissora lhe proporia um novo trabalho. Ela soube da escalação de Regina Casé pela imprensa e ainda não tem nada acertado na Globo.

Já Travessia, título provisório da próxima novela de Gloria Perez, está em avançado trabalho de pesquisa para composição da história. Depois de explorar muitos cenários de outros países, a autora quer mostrar as belezas do Brasil. Ela já sinalizou para a Globo que vai ambientar sua próxima história no Maranhão. 

Para assegurar mídia e repercussão, a autora decidiu reviver na próxima novela a delegada Helô, papel de Giovanna Antonelli em Salve Jorge (2012). 

Walcyr Carrasco e a diretora Amora Mautner já estão de olho na cultura e paisagens do Mato Grosso do Sul para a trama que ele pretende submeter para a faixa das nove. A região de Bonito e as crenças que cercam os povos Terena (uma etnia indígena brasileira) --como a história das 700 luas--, estão na mira do autor.


Leia também

Enquete

Qual o personagem mais chato de Pantanal?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.