Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

PODER DA BÍBLIA

Éramos Seis: Lúcio é salvo por milagre de mãe durante a guerra; descubra como

Reprodução/TV Globo

O ator Jhona Burjack com expressão triste e usando roupas de época em cena como Lúcio de Éramos Seis

Lúcio (Jhona Burjack) em cena de Éramos Seis; jovem vai ser salvo por Bíblia durante a Revolução de 1932

DÉBORA LIMA

debora@noticiasdatv.com

Publicado em 2/2/2020 - 5h36

Lúcio (Jhona Burjack) escapará da morte graças a um milagre providenciado por Genu (Kelzy Ecard). Em Éramos Seis, o jovem vai se juntar ao Exército de São Paulo contra as tropas de Getúlio Vargas (1882-1954) ao lado de Alfredo (Nicolas Prattes). Antes de partir, a mãe do garoto entregará uma Bíblia para protegê-lo na guerra. Em uma batalha, o soldado será atingido por um disparo, mas o livro sagrado vai salvar a vida dele.

O remake de Angela Chaves vai misturar ficção e realidade para mostrar o conflito armado que ficou conhecido como Revolução de 1932. A guerra virará as vidas dos personagens de cabeça para baixoLola (Gloria Pires) e Genu vão sofrer ao se despedirem de seus herdeiros, que estarão prestes a enfrentarem as forças federalistas no interior do Estado.

"Não se esquece de que, entre um filho herói, e um filho vivo, eu ainda prefiro você vivinho da silva. Não vá querer ganhar a revolução sozinho", implorará a matriarca dos Lemos. "Trate de rezar todas as noites, hein, Lucinho? Não é porque está fora de casa que vai esquecer de Deus", aconselhará a mulher de Virgulino (Kiko Mascarenhas).

Quando os dois jovens estivem quase saindo de casa, a mãe de Lili (Beatriz Parizotto) vai se lembrar de entregar uma Bíblia ao filho. "Lucinho, eu trouxe isso para te proteger. É a santa Bíblia. Carrega sempre no bolso que ela te protege", dirá a personagem de Kelzy Ecard.

Haverá uma passagem de tempo na novela das seis da Globo, que mostrará os personagens em meio às batalhas nas trincheiras. Durante um confronto, Lúcio vai levar um tiro no peito, para desespero de Alfredo.

Por um triz

"Lúcio... Meu amigo, fala comigo. Você está bem?", questionará o irmão de Isabel (Giullia Buscacio). "Alfredo... Eu estou mal. Me pegaram", balbuciará o soldado ferido. O encrenqueiro levará o amigo até o hospital.

Inês (Carol Macedo), que também estará na guerra trabalhando como enfermeira, vai acudir o herdeiro de Virgulino. A filha de Afonso (Cássio Gabus Mendes) e o médico do local vão mandar o personagem de Nicolas Prattes esperar do lado de fora da sala de cirurgia.

Lúcio vai perder muito sangue, mas vai sobreviver ao disparo graças à Bíblia dada pela mãe. "Estão dizendo que ainda não vai ser dessa vez, Alfredo", brincará o ex-namorado de Isabel quando acordar e ver o amigo ao seu lado. "Eu não disse? Mas você me deu um susto, meu amigo", confessará o filho de Júlio (Antonio Calloni). 

"Mas ainda não sabe da melhor. Escapei por um triz. Sabe o que me salvou a vida? Desta vez a minha mãe tinha razão. Eu achava que ela era meio louca. Mostra para ele, Inês", pedirá o ferido. A enfermeira pegará o livro sagrado perfurado pelo buraco do projétil.

"A bala pegou bem aqui onde ele guardava a Bíblia. Perfurou. Chegou a entrar um pouco no peito, mas não o suficiente para atingir o coração", explicará a personagem de Carol Macedo.

"A Bíblia salvou a tua vida, Lúcio", constatará o namorado de Adelaide (Joana de Verona) nas cenas que estão previstas para irem ao ar a partir de 22 de fevereiro.


Inscreva-se no canal do Notícias da TV no YouTube e assista a vídeos com revelações exclusivas de Éramos Seis e de outras novelas!


Últimas de Éramos Seis


Resumos Semanais

Resumo da novela Éramos Seis: Capítulos de 24 a 27 de março

Terça, 24/3 (Capítulo 151)
Isabel comemora a presença de Lola. Inês teme a proximidade de Lola e Leon. Olga e Zeca se preparam para sua viagem de navio. Lola se sente desconfortável na casa de Isabel e Felício, e comunica ... Continue lendo


Outras Novelas

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Quem deve ser a nova Juma Marruá?