SORTE OU AZAR?

Autora de Éramos Seis enfrenta o melindre de mexer na obra de 'poderoso' da Globo

Raquel Cunha/TV Globo

As atrizes Irene Ravache, Gloria Pires e Nicette Bruno posam no cenário da casa da personagem Lola em Éramos Seis

Gloria Pires posa com Irene Ravache e Nicette Bruno; as intérpretes de Lola se reúnem em Éramos Seis

MÁRCIA PEREIRA, no Rio de Janeiro - Publicado em 29/09/2019, às 05h20

A autora Angela Chaves enfrenta o medo de melhorar ou excluir histórias de uma obra do seu chefe, Silvio de Abreu, diretor de dramaturgia da Globo. Foi ele quem a escolheu para a missão de mexer e criar tramas em cima do texto original de Éramos Seis que ele fez para o SBT em 1994.

"É uma responsabilidade muito grande, mas o Silvio é muito generoso e me deu liberdade", afirma a novelista. Já o diretor artístico da nova versão da trama, Carlos Araújo, confirma que é difícil e que os dez primeiros capítulos gravados, inclusive, passaram por completo pelo crivo do "poderoso". "Ele viu tudo e está feliz. Bom, eu acredito que ele esteja feliz", corrige-se, em entrevista ao Notícias da TV.

A autora confidencia que não viu a versão escrita por Abreu em parceria com Rubens Ewald Filho (1945-2019) e que foi exibida pela emissora de Silvio Santos há 25 anos. Ela conta que, em 1977, quando foi ao ar a versão feita pela TV Tupi, tinha apenas 11 anos, e suas impressões para trabalhar no folhetim são dessa época. 

Carlos Araújo e Angela Chaves no lançamento do remake de Éramos Seis (César Alves/TV Globo)

"As lembranças que eu tenho são de algumas cenas. E o meu avô, que era um homem que não costumava ver novelas e só gostava de filme de bangue-bangue, falava que era uma novela que mostrava a realidade. Isso me marcou", confidencia Angela.

A novelista fez faculdade de Letras, e lá leu e estudou o livro homônimo de Maria José Dupré (1898-1984), publicado em 1943. "Mesmo agora [para a nova versão], eu preferi não ver a novela do SBT. Mas isso é para não ficar presa. Vi só alguns trechos."

Araújo afirma que o remake que estreia nesta segunda (30) terá vida própria. "O nosso Éramos Seis sorri um pouco mais. Vai ter morte, porque a morte faz parte da vida. É uma realidade. Mas tem humor e aventura também", discursa. 

Angela e o diretor artístico trabalharam juntos em Os Dias Eram Assim há dois anos. A novela começou na época a Ditadura Militar (1964-1985), e uma das surpresas deles foi a de que o brasileiro ignovara essa parte da história do país. 

Questionada se a Revolução Constitucionalista de 1932 ganhará importância no remake, como a opressão teve na vida dos personagens da novela das onze, a autora diz um "não" enfático, porque a parte política realmente não terá muito peso. "É uma novela das seis, com dramas humanos e a leveza que horário pede", explica.


Inscreva-se no canal do Notícias da TV no YouTube e assista a vídeos com revelações exclusivas de Éramos Seis e de outras novelas!

Últimas de Éramos Seis

Resumos semanais

Resumo da novela Éramos Seis: Capítulos de 22/2 a 7/3

Sábado, 22/2 (Capítulo 125)
Inês tenta conter o sofrimento de Alfredo. Zeca agradece a colaboração de Afonso. Lola chega a Itapetininga e fica mexida ao saber que Afonso esteve na cidade. Genu passa mal ao saber da morte de ... Continue lendo

Outras novelas

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Quem é a mãe mais surtada de Amor de Mãe?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook