Próxima novela das nove

Deborah Secco mistura Ivete Sangalo, Nazaré e Carminha em vilã baiana

João Cotta/TV Globo

Deborah Secco caracterizada como Karola na primeira fase de Segundo Sol, da Globo  - João Cotta/TV Globo

Deborah Secco caracterizada como Karola na primeira fase de Segundo Sol, da Globo

MÁRCIA PEREIRA - Publicado em 03/04/2018, às 06h25

Na próxima novela das nove, Deborah Secco terá nas mãos uma malvada que mistura a baianidade carismática de Ivete Sangalo com as vilanias gritantes de Carminha e Nazaré, as megeras de Avenida Brasil (2012) e Senhora do Destino (2004). Karola, sua vilã periguete em Segundo Sol, roubará o filho da rival e desenvolverá um amor obsessivo pela família, mesmo sendo amante do próprio cunhado.

A trama de João Emanuel Carneiro entra no ar em 14 de maio, no lugar de O Outro Lado do Paraíso. O autor se consagrou com Avenida Brasil, mas foi bastante criticado por sua última novela, A Regra do Jogo (2015), que trouxe uma história violenta, com a disputa entre bandidos da mesma facção criminosa. 

Tudo na nova novela vai girar em torno da trama familiar de Beto Falcão (Emilio Dantas), que seria interpretado por Cauã Reymond se o bonitão não tivesse sido reprovado no rebolado. Karola começa a novela "menina", como namorada dele. O cantor de axé estará no ostracismo, após um período de enorme sucesso.

Ele é um dos quatro filhos de Dodô (José de Abreu) e Naná (Arlete Salles). A família tira o sustento do bar de caranguejo que fica no imóvel onde mora, mas correrá o risco de perder a casa por conta da má administração da carreira de Beto, a cargo de Remy (Vladimir Brichta), o irmão "ovelha negra". O mau-caráter é amante de Karola. 

Para ajudar a pagar parte das dívidas, Beto aceitará fazer um show em Aracaju (SE). O avião em que ele iria embarcar cairá no mar e o cantor será dado como morto. Mas, pela inesperada comoção nacional, o músico será convencido por Remy e por Karola a se manter "morto". Ele vai passar um tempo na fictícia ilha de Boiporã e conhecerá Luzia (Giovanna Antonelli), por quem se apaixonará perdidamente.

Karola (Deborah Secco) com Laureta, a cafetina má viviva por Adriana Esteves (João Cotta/TV Globo)

Filhote de Carminha
Karola, muito provavelmente, vai virar meme como "filhote de Carminha". Na história, ela tem como mentora a cruel Laureta, interpretada justamente por Adriana Esteves. Ninguém bate o martelo, mas tudo indica que as duas serão mãe e filha.

"O João [autor] não decidiu ainda. É uma relação de amor e ódio, como de mãe e filha ou de duas irmãs. Ele falou que não sabe muito bem o que elas vão ser porque tem um terceiro personagem envolvido, e ele disse que só vai revelar isso mais para o final", explica a atriz.

Laureta é cafetina de luxo, e Karola fazia parte do seu casting de "book rosa". Deborah, porém, adianta que sua personagem falará que trabalhou para Laureta e que não quer fazer isso de novo, mas não sabe se foi com prostituição. "Tem uns mistérios até pra gente", afirma.

Quando vê que vai perder Beto para Luzia, a jovem vilã segue exatamente os planos traçados pela pistoleira-mor. "A novela gira em torno do triângulo amoroso formado por Karola, Beto e Luzia, e a Laureta vai ajudar a Karola a acabar com a vida desses dois. E a gente acaba mesmo", conta Deborah ao Notícias da TV.

Ela virará uma perua rica na segunda fase da trama. A mudança de fase acontecerá no décimo capítulo. Deborah não precisará cortar os cabelos, ao contrário de Giovanna Antonelli, que começa a novela morena com cabelos longos e depois ficará platinada. "O que muda muito na Karola é a roupa." 

Mistura de Nazaré e Ivete Sangalo
Karola roubará o filho da rival para cuidar como seu, assim como fez a personagem de Renata Sorrah na trama de Aguinaldo Silva. Valentim (Danilo Mesquita) será criado por Beto e Karola. A personagem conseguirá reatar o relacionamento  justamente por provar que seu bebê é filho do cantor com um exame de DNA.

O amor que ela nutrirá pelo filho e pelo marido será seu ponto fraco e, ao mesmo tempo, forte. Mas e o caso com o cunhado, não é amor?

"Ela usa o Remy para chegar no Beto. Sabe aquelas pessoas que têm um amor muito grande por alguém e não são correspondidas, e ficam tão carentes que precisam ter outras pessoas para aplacar esse vazio? Tudo que ela faz é por amor, é por ser louca pelo Beto e, depois, pelo Valentim", diz a intérprete da vilã.

Karola é a grande vilã de Segundo Sol, mas não é amarga. Tem senso de humor e carisma. Até conquistar um sotaque baiano que agrade ao público virou uma determinação para a atriz. "Fico tentando fazer algo meio Ivete Sangalo, viu? Mas é muito difícil, é difícil pra p****", fala, imitando a cantora.

Como o marido, Hugo Moura, é baiano, Deborah conta que os treinamentos de prosódia se estendem em casa. "Tem uma musiquinha na fala, tem de anasalar a voz, fala muito 'viu'. Não sei o que, viu?, Beto vai amar, viu? Eu e Giovanna nos divertimos muito com nossos respectivos sotaques."

Meio sem querer, ela também deixa escapar que a professora de prosódia do elenco pede um sotaque mais discreto, e não o verdadeiro dos baianos. "Para que as pessoas aguentem durante nove meses todos os atores falando assim."  

Leia também

 

 

Últimas de Segundo Sol

Enquete

O que você achou do vaivém de Datena na Band?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook