Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

PEDIDO NA WEB

Deborah Secco cobra Globoplay por liberação de novela antiga; saiba qual

DIVULGAÇÃO/TV GLOBO

Sol (Deborah Secco) e Tião (Murilo Benício) se abraçam em cena de América, da Globo

Sol (Deborah Secco) e Tião (Murilo Benício) em cena de América, novela exibida em 2005 pela Globo

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 26/1/2021 - 21h21

Uma das principais atrizes da Globo, Deborah Secco cobrou a própria empresa nas redes sociais nesta terça-feira (26). A artista de 41 anos respondeu um post do Globoplay e fez um pedido: a liberação no catálogo da novela América, exibida originalmente em 2005.

A trama, protagonizada pela própria Deborah e por Murilo Benício, teve problemas em seu início, mas engrenou e terminou como um fenômeno de audiência.

O último capítulo, exibido em 5 de novembro de 2005, marcou 68 pontos de audiência na Grande São Paulo, índice alto até para a época e inimaginável atualmente. 

No post, Deborah respondeu uma provocação do Globoplay no Twitter, que sugeriu aos seguidores criarem uma "treta noveleira". A atriz escreveu: "Cadê América?". Apesar do pedido especial, não há previsão de lançamento da trama no streaming.

O folhetim de Gloria Perez contava a história de amor de Sol (Deborah Secco) e Tião (Murilo Benício). Ela teve uma infância miserável no Rio de Janeiro e sonhava em morar nos Estados Unidos, onde acreditava que teria uma vida melhor. Já Tião Higino, criado no interior do Brasil, queria ser um campeão de rodeios e, com o dinheiro, fazer a casa que seu pai sonhava construir para a família.

Sol resolveu fazer a travessia ilegal da fronteira do México com os Estados Unidos após ver negado seu visto de entrada no país. Veja o post de Deborah abaixo:


Leia também

Enquete

Pantanal perde audiência: novela está chata?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.