Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

WHITEWASHING

De árabe a oriental: Giovanna Antonelli paga mico como Scarlett Johansson nacional

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Montagem com Giovanna Antonelli em três fases diferentes: Jade de O Clone à esquerda, Alice de Sol Nascente no meio e Luzia de Segundo Sol

Giovanna como a Jade de O Clone, Alice de Sol Nascente e Luzia de Segundo Sol: críticas por whitewashing

DANIEL FARAD

Publicado em 1/9/2020 - 7h00

Até então "queridinha" do público, Giovanna Antonelli virou motivo de piada. Ela foi acusada pelos internautas de ser a versão brasileira de Scarlett Johansson por aceitar personagens que divergem de suas origens. A prática é chamada de whitewashing e consiste na escalação de brancos para papéis que deveriam ser de atores de outras etnias.

A polêmica começou na tarde de domingo (30) com a repercussão em torno de um desabafo de Danni Suzuki sobre ter perdido o posto de protagonista de Sol Nascente (2016). Walther Negrão, autor da história, teria se baseado na história de vida da própria atriz para criar Alice --mas a personagem que ficou com Antonelli.

Durante uma live com a também atriz Bruna Aiiso, Danni afirmou que a Globo a dispensou com a "desculpa" de ser muito velha para o papel. Com dois anos a mais, a mulher de Leonardo Nogueira assumiu a sua função, o que teria levado a sinopse a ser completamente reescrita.

Giovanna chegou a se defender nos comentários de uma publicação do Instagram.
"Jamais disputei ou troquei de papel com essa atriz na minha carreira. Colocar meu nome nesta situação é vergonhoso", reclamou.

As justificativas, no entanto, não impediram que os memes com as imagens de seus personagens se multiplicassem pela internet. "Do oriente a Bahia, um salve a Scarlett Johansson brasileira, brincou uma usuária identificada apenas como Sah no Twitter.

Além do polêmico papel na novela das seis, o chiste trazia Antonelli caracterizada como a muçulmana Jade de O Clone (2001) e a marisqueira Luzia de Segundo Sol (2018). O último, aliás, já tinha rendido dores de cabeça à intérprete --ela chegou a ser cortada da novela pelo seu perfil, considerado "italiano" demais para uma baiana.

DIVULGAÇÃO/PARAMOUNT PICTURES

Scarlett Johansson interpreta personagem de origem asiática em Ghost in the Shell (2017)

João Emanuel Carneiro bateu o pé e exigiu que a artista, uma de suas parceiras mais frequentes, continuasse no elenco. Ele, contudo, precisou abrir mão de Carol Castro em favor de Roberta Rodrigues.

Giovanna, claro, não é a única responsável nem "culpada" por quaisquer problemas de escalação. A pressão da web é para que ela também tome medidas parecidas com as de Johansson. Em 2018, Scarlett foi convidada para interpretar um homem trans no filme Rub & Tug e recusou a proposta após a repercussão negativa.

A cizânia, no entanto, marcou negativamente a carreira da atriz de Hollywood, acusada de ser tão "flexível" a ponto de dar vida à russa Natasha na saga Vingadores (2012-2019), uma asiática em Ghost in the Shell (2017), um sistema operacional em Ela (2014) e até um pendrive em Lucy (2014).

Confira a repercussão em torno de Giovanna Antonelli nas redes:

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?