Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
X
Instagram
Youtube
TikTok

BEATRIZ OLIVEIRA

Atriz surda por doença hereditária encara novela do SBT e cobra mais inclusão

CAIO OVIEDO/DIVULGAÇÃO

Beatriz de Oliveira em foto de divulgação

A atriz Beatriz Oliveira interpreta Pórcia na novela A Infância de Rome e Julieta, do SBT

MÁRCIA PEREIRA, colunista

marcia@noticiadastv.com

Publicado em 5/2/2024 - 18h00

Aos 17 anos, Beatriz Oliveira começou a perder a audição e foi diagnosticada com otosclerose, uma formação anormal de osso esponjoso do ouvido que tem origem genética e hereditária. Quase dez anos depois de descobrir a doença, a atriz faz sua primeira novela --ela vive a Pórcia em A Infância de Romeu e Julieta, do SBT--, e aponta sua conquista como um progresso para pessoas com deficiência auditiva.

"É extremamente importante ter uma atriz surda fazendo o papel de uma personagem surda em uma novela. Isso é muito relevante para a comunidade surda em geral. Temos muitas outras figuras de influência surda nesse mundo da TV e das redes sociais, e ser uma delas, significa, para mim, que estamos abrindo portas para outras pessoas", conta Beatriz, que tem 26 anos e é da periferia de São Paulo.

Pórcia faz leitura labial para entender o que as pessoas dizem e se comunica em Libras (Língua Brasileira de Sinais) ou por escrito no folhetim. Já Beatriz passou a utilizar aparelho auditivo e aprendeu a língua de sinais para se inserir na comunidade surda.

"Acho muito importante que a novela do SBT dê espaço para esse assunto e,  assim, conscientize, não só as pessoas que consomem o produto, mas também outros canais de televisão sobre a importância da inclusão", diz a jovem. Ela fez o teste para Pórcia com atrizes sem problemas de audição.

A intérprete explica que sua perda de audição não é total e que pode escutar ruídos, sons graves e até mesmo músicas no fone --se for no último volume. Ela lamenta serem ainda muito poucos surdos trabalhando na dramaturgia. "Só agora as pessoas estão começando a falar disso e ainda sem saber informações importantes. Em geral, acho que há a tentativa de incluir, mas sem saber como fazer", observa, antes de continuar:

Inclusão não é você pegar uma pessoa surda e colocar lá para fazer um trabalho, sendo que o outro profissional não sabe como lidar nem se comunicar com uma pessoa que fala em Libras. Existe uma dificuldade muito grande no meio de nos abraçar, de olhar para a nossa diferença e querer nos entender. Na verdade, a invisibilidade da comunidade surda é um problema maior, não é só na arte.

Desde a infância, ela recebeu incentivo para virar artista e foi buscar oportunidades assim que começou a fazer curso de atuação, em 2011. Paralelamente, também fazia balé. Ela se formou pela SP Escola de Teatro no ano passado.

Em 2022, a atriz integrou o elenco do filme Escola de Quebrada e, depois, protagonizou Lapso, curta premiado que foi recentemente selecionado para mostra do Festival Internacional de Cinema de Berlim, que acontecerá entre 15 e 25 de fevereiro. Ela também participou da terceira temporada da série Unidade Básica (Universal TV).

A perda progressiva da audição ocorreu justamente no momento em que Beatriz começou a trabalhar. Ela diz que notou a perda auditiva e teve de aguçar outros sentidos para não desistir de seus sonhos.

Em A Infância de Romeu e Julieta, Pórcia mora com o pai, Fausto (André Mattos), ama livros e quer morar na Inglaterra. "É uma personagem muito forte, que perdeu a mãe muito cedo, e aprendeu a cuidar de um pai ranzinza que a coloca dentro de uma bolha para protegê-la", resume. 


Inscreva-se no canal do Notícias da TV no YouTube e assista a vídeos com revelações do que vai acontecer em A Infância de Romeu e Julieta.


Resumos Semanais

A Infância de Romeu e Julieta: Resumo dos capítulos da novela do SBT - 23/2 a 1º/3

Sexta, 23/2 (Capítulo 210)
Glaucia propõe que Vitor faça algo contra Vera e que vai pagar muito bem para ele. Mariana joga verde para Julieta e descobre que Téo é filho de Bernardo. Amanda fala para Téo que ele não ... Continue lendo

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.