Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

NOVOS TEMPOS

Após 20 anos de alisamento, Betty a Feia assume cachos para ficar bonita

REPRODUÇÃO/TELEMUNDO

Reprodução de imagem de Elyfer Torres antes e depois da transformação na novela Betty a Feia, em NY

Betty (Elyfer Torres) antes e depois da mudança; pela primeira vez, personagem assume cachos na transformação

ERICK MATHEUS NERY

erick@noticiasdatv.com

Publicado em 9/6/2020 - 5h56

Desde a exibição original, em 1999, as adaptações de Yo Soy Betty, la Fea seguiram a mesma cartilha na hora da mudança de visual da protagonista: os cabelos arrepiados ou crespos da personagem se tornaram lisos em sua fase bonita. A versão mais recente da novela, lançada no ano passado, quebrou esse paradigma ao apresentar a primeira Betty pós-transformação com cabelos cacheados. A cena está prevista para ser exibida no capítulo desta terça-feira (9) de Betty, a Feia em NY, no SBT.

Para Camila Guimarães, mestranda em Comunicação pela UFPA (Universidade Federal do Pará) que analisa a representação dos cachos no audiovisual e os conceitos atrelados a este tipo de cabelo, a sequência é um marco na quebra dos estereótipos de beleza.

"Dificilmente a mocinha da novela é cacheada. Em filmes e outras produções audiovisuais, o cabelo crespo é apresentado como uma marca de imaturidade. Quando a personagem cresce, o cabelo é alisado para representar essa transformação", explica a pesquisadora.

A trama criada por Fernando Gaitán (1960-2019) já foi adaptada 25 vezes, inclusive no Brasil pela Record (Bela, a Feia, de 2009). Em 2019, a Telemundo realizou uma nova versão da trama, em comemoração aos 20 anos da original, e apresentou ao público uma personagem mais ajustada aos tempos atuais.

"O momento da mudança, quando a Betty se vê no espelho, é um ato de valor, de autorreconhecimento e amor próprio. Ela se sente assim: 'Uau, essa sou eu, a pessoa que eu construí, quem eu decidi ser'", revelou Elyfer Torres, protagonista de Betty, a Feia em NY, em entrevista para o programa Un Nuevo Día, da Telemundo.

Verónica Schneider, intérprete da "fada madrinha" de Betty na trama, diz que a transformação não se restringiu apenas ao lado estético. "O mais importante era que a personagem entendesse todo o valor e potencial que ela tem. Com isso em mente, a mudança externa é fácil de alcançar. Acredito que a mudança principal em uma pessoa é a segurança em si mesma, o amor próprio", falou ao Suelta la Sopa, programa de variedades da emissora.

rEPRODUÇÃO/TELEVISA E RECORD

Antes e depois da mexicana Lety (Angélica Vale) e da brasileira Bela (Giselle Itié): sem cachos


Empoderamento e fator mercadológico

A pesquisadora Camila Guimarães reforça que essa mudança na personagem não pode ser analisada de forma isolada. Nos últimos anos, a luta pelo empoderamento das mulheres (inclusive o debate sobre os cabelos, sobretudo pelos movimentos feministas negros) e os interesses pelas marcas de beleza nas mulheres cacheadas conquistaram mais espaço na mídia.

"Dentro do universo mercadológico da feminilidade e da estética, as referências de beleza são as pessoas que estão na mídia. Nos anos 1990 e 2000, as meninas de Chiquititas [1997] e a cantora Sandy Leah tinham cabelos lisos e pautavam o consumo, tanto que as bonecas também possuíam esse tipo de cabelo".

"Nos últimos anos, percebemos um crescimento no mercado de cabelos crespos e cacheados. Somadas as lutas realizadas pelos movimentos afirmativos, esse estilo consegue mais visibilidade na mídia e também espaço nas produções audiovisuais", complementa a estudiosa.


Leia também

Enquete

Você gostou da escolha de Tadeu Schmidt para o BBB22?

Web Stories

+
Após derrota em eleição, Victor Pecoraro perde mais uma votação e deixa A Fazenda 13Deixaram saudade: Conheça cinco atores de O Clone que já morreramEsqueceram de Mim ganha novo filme no Disney+; veja como está o elenco originalTadeu Schmidt no BBB22: Conheça a carreira do apresentador na GloboRenascer no Globoplay: Saiba por onde anda o elenco da novela 28 anos depois

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas